Mercado open já representa 30% dos celulares vendidos no Brasil

Os celulares "open", como o mercado chama os aparelhos vendidos desbloqueados e sem customização para uma única operadora, já representam 30% das vendas no País, estimam fontes do setor ouvidas por este noticiário. No ano passado, calcula-se que os terminais open representaram cerca de 25% dos telefones móveis vendidos no Brasil. Até o fim do ano esse percentual deve alcançar 40%.
Segundo fontes, essa tendência vem provocando alterações dentro da estrutura de vendas dos fabricantes. "Hoje, o gerente de vendas de aparelhos open em qualquer fabricante é tão importante quanto aquele que cuida da relação com uma grande operadora. No ano passado alguns ganharam até bônus maiores que os gerentes de contas das teles", relata uma fonte ligada a um distribuidor de telefones.
A participação dos telefones "open" vem crescendo ano a ano. Em certa medida ela está relacionada ao próprio aumento de penetração da telefonia celular no País e ao consequente crescimento de troca de aparelhos. A decisão da Oi, alguns anos atrás, de apenas vender celulares desbloqueados foi determinante para esse segmento ganhar força no País. Recentemente, a TIM passou a seguir o mesmo caminho.
Hoje, todos os grandes fabricantes possuem gerentes de vendas para lidar diretamente com o varejo e com distribuidores na comercialização de celulares "open". Alguns, como a LG, tem até mesmo modelos exclusivos para esse segmento.
Os varejistas, por sua vez, sentem do lado dos consumidores um aumento na demanda por aparelhos desbloqueados. Algumas grandes redes, como Ponto Frio, já investem em mídia para divulgar esses produtos, mesmo sem ajuda de operadoras.
Estima-se que ano passado tenham sido vendidos, ao todo, 39 milhões de celulares no Brasil, entre bloqueados e desbloqueados. Para 2010, espera-se um crescimento da ordem de 10%, alcançando-se a marca de 43 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.