GVT é condenada no DF por anunciar velocidade em desacordo com a entrega

A GVT será obrigada a destacar, em suas publicidades, todas as especificações do serviço de banda larga ofertado pela empresa, inclusive a possibilidade de oscilação na velocidade do serviço. A decisão é da 21 ª Vara Cível de Brasília e, além da determinação, estipula que a empresa terá de pagar R$ 100 mil em multas caso não cumpra a ordem judicial. Cabe recurso da decisão.

Pela decisão, a companhia terá ainda que indenizar cada consumidor lesado pela diferença entre a velocidade de navegação paga e a recebida.

A condenação da GVT é fruto de uma ação do Ministério Público do Distrito Federal contra a operadora. O processo foi aberto em 2011. Uma das alegações da promotoria aceitas pela Justiça é de que a companhia cobra do cliente o valor referente à velocidade anunciada e não à fornecida. “O consumidor paga sem perceber. O importante é que essa decisão da Justiça vai abrir precedente para a melhora no mercado de consumo”, diz o Ministério Público em nota divulgada em seu site.

Atualização

Em nota, a GVT afirma que "pratica total transparência na prestação de serviço de banda larga e tem o compromisso de entregar a velocidade contratada pelo cliente". A tele informa ainda que está ciente da decisão judicial, em análise no departamento jurídico da empresa, e que se manifestará oportunamente sobre o tema.
[Atualizado às 15h37 – 04/10/2012]
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.