Publicidade
Início COVID-19 Hughes já usa capacidade adicional da Yahsat para aumento da demanda na...

Hughes já usa capacidade adicional da Yahsat para aumento da demanda na pandemia

Rafael Guimarães, presidente da Hughes Brasil

Em meio à crise da pandemia do coronavírus (covid-19), a Hughes vive uma situação atípica com o processo de integração das operações da Yahsat. As duas empresas anunciaram a criação de uma joint-venture no Brasil há pouco mais de um ano com objetivo de utilizar a capacidade em banda Ka conjunta para serviços de conexão à Internet. Mas isso veio a calhar com o aumento da demanda de 30% na rede satelital da companhia, disse ao TELETIME o presidente da Hughes Brasil, Rafael Guimarães. 

A gente teve muita sorte. O tráfego aumentou enquanto estamos no meio do processo de integração com a Yahsat, e a gente já está usando o terceiro satélite, o Al-Yah 3, agora no final de abril”, declarou ele em entrevista online. Conforme explica o executivo, a operadora dos Emirados Árabes utilizava outra tecnologia em termos de terminal e OSS/BSS, e foi preciso migrar tudo para a Hughes. 

“Da forma com que isso está acontecendo, foi um período extremamente conveniente. Em locais onde aumentou muito [a demanda], nesse momento a gente tem um beam [feixe] novo. Foi muita sorte nossa o timing das coisas. Se não tivesse satélite novo, a gente não teria uma maneira de crescer agora.”

Notícias relacionadas

Processo complexo

Guimarães diz que ainda há muito a fazer para finalizar a migração, como a mudança da infraestrutura terrestre. Embora a base da Yahsat ainda fosse pequena – a empresa estava em fase de startup no Brasil, segundo o executivo -, há um processo em andamento para garantir a continuidade do serviço para os usuários. “Estamos migrando os clientes para a plataforma Hughes para, a partir de julho ou agosto, utilizar um sistema só. Hoje estamos usando dois e é uma operação cara”, declara. 

O presidente da Hughes diz que a operação “está indo no prazo e no ritmo” previstos. Mas é um processo delicado, pois há não apenas o serviço de Internet satelital para residências. Grandes operadoras tinham contrato de múltiplos serviços, e há mais gente envolvida. “Como se lida de maneira justa? No nosso caso, é pouca gente. Mas é um processo de integração complicado e detalhado.”

A Hughes encerrou abril com 222,3 mil acessos de Internet (contra 213 mil no mês anterior), segundo dados da Anatel publicados na semana passada. Já a Yahsat contou com pouco mais de 15 mil acessos (3 mil a menos do que o registrado em março).

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile