OUTROS DESTAQUES
Fórum de operadoras alternativas
Para WND, ser apenas um 'dumb pipe' tem benefícios
segunda-feira, 26 de Março de 2018 , 19h37

Segundo o diretor de negócios da operadora WND, Eduardo Iha, a tecnologias de redes de amplo alcance e baixo consumo energético (LPWA, na sigla em inglês) designadas para Internet das Coisas, como a que sua empresa criou com a tecnologia SigFox, da qual é representante no Brasil, podem permitir um modelo de negócios na contra-mão do que as operadoras de telecomunicações têm experimentado atualmente. Isso porque, para atender a demanda de conectividade para IoT que não necessitará de grande largura de banda, mas sim de economia de energia, a estratégia pode simplesmente se ater à conectividade em escala que isso traz. Ou seja: como uma utility, com uma rede simples e funcional.

"Temos orgulho de ser dumb pipe, porque o modelo foi pensado para isso, os custos operacionais são baixíssimos, e isso permite oferecer escala global", declarou ele, durante Fórum de Operadoras Alternativas organizado pela TELETIME e pela Mobile Time nesta segunda, 26. O modelo se baseia em oferecer também uma plataforma mundial com cotações, compra, tabela de preço e serviços premium. "O negócio não precisa construir (infraestrutura), já está pronto. E por menos de um dólar por ano no preço da conectividade", afirma.

"Quando olha projetos em larga escala, como utility, é zero ou milhões", declara, reforçando a estratégia baseada na quantidade de acessos na IoT. "A WND é uma empresa de atacado, não vamos ter loja", explica, destacando que os planos podem chegar a US$ 0,70 anuais por acessos com duas conexões por dia.

A empresa tem hoje a maior cobertura dedicada exclusivamente a IoT no Brasil,  que atende praticamente todo o território nacional onde existe potencial para atividades comerciais, e desenvolveu um modelo de fomentar parceiros em diferentes verticais para atuar exclusivamente com soluções de IoT que funcionam no modelo LPWAN, ou seja, de baixa potência e baixos volumes de tráfego, mas grandes coberturas e longuíssima autonomia de baterias.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top