OUTROS DESTAQUES
TV digital
Radiodifusores aceitam discutir inclusão de TV a cabo para atingimento da meta de 93% de digitalização dos lares
sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 , 15h53

Os radiodifusores não abrem mão da meta de 93% dos domicílios aptos para receberem as transmissões da TV aberta digital para desligamento do sinal analógico. Porém, estão dispostos a discutir a inclusão no universo a ser considerado na pesquisa os domicílios que acessam a programação por TV a cabo digital e dos lares híbridos (com TV a cabo e aberta), desde que ao menos dois pontos de recepção acessem a TV aberta digital.

Esses pontos foram discutidos entre representantes das emissoras de televisão e o ministro das Comunicações, André Figueiredo, na quarta-feira,9, segundo informações da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert). Os radiodifusores também disserem que aceitam discutir um novo cálculo que considere a margem de erro de 3% na pesquisa, em favor do atingimento da meta de 93%.

A reunião aconteceu no mesmo dia em que saíram os números da nova pesquisa em Rio Verde, município goiano escolhido como projeto-piloto do switch-off. Os resultados apontaram que 78% dos domicílios estavam aptos para a recepção do sinal digital. Contando com as casas com televisores de telas finas, esse percentual subiria para 80%. Porém, se adicionados os lares com TV por assinatura e com recepção por parabólicas, o índice atingiria 91%, portanto, dentro da margem de erro.

Os radiodifusores, no entanto, não aceitam a inclusão da TV paga por satélite nem as recepções por parabólicas, o que deixa quase inatingível a meta estipulada de 93% dos lares, na visão das empresas de telecomunicações, leitura essa compartilhada (não publicamente) pelas próprias emissoras de TV. Com relação as TVs de telas finas, os radiodifusores ressaltam que não basta ter os equipamentos necessários para a recepção digital, como o conversor integrado ao televisor, o set-top box e a antena se não estiverem instalados.

Outra exigência dos representantes das emissoras é de que um eventual desligamento do sinal analógico com percentual de digitalização inferior a 93% – que pode acontecer em Rio Verde – teria que ser autorizado, por unanimidade, pelo Gired (grupo de implementação da digitalização). O ministro André Figueiredo pode anunciar a data do switch-off do município goiano já na próxima terça-feira, 15, quando visita a cidade para início dos testes do 4G na faixa de 700 MHz, que serão realizados pela Claro.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top