OUTROS DESTAQUES
Política setorial
Rezende: "estamos embolando a discussão das concessões"
terça-feira, 27 de outubro de 2015 , 22h37

O presidente da Anatel, João Rezende, voltou a defender a revisão dos contratos de concessão de telefonia fixa (STFC), mas criticou o andamento do debate e sobretudo as reclamações das teles, chamando-as de "muro das lamentações". "Estamos embolando a discussão", disse ele durante painel no Futurecom nesta terça, 27. Na opinião dele, é preciso remover a barreira do prazo de renovação para 2025, deixando o foco concentrado na reversibilidade. "Até recebo sugestões de soluções simplistas, como resolver por decreto, mas não é assim, precisa de amadurecimento na discussão para criar ambiente para as empresas do setor", declarou.

Rezende acredita que falar apenas sobre STFC pode ser precipitado, mas que o grupo de trabalho coordenado pelo secretário de telecomunicações do Minicom, Maximiliano Martinhão, vai chegar a alternativas. "Precisamos discutir certa dúvida em reversibilidade, porque ninguém garante que em 2023 somente a telefonia fixa seja reversível, porque o governo vigente poderá entender que Internet é necessidade", sugeriu.

Ele acha também que é necessário que a reforma siga o trâmite comum, mesmo que seja um "calvário". "Não temos que ter medo de discutir isso no Congresso, tem que passar lá, porque a mudança temporal de 2025 não pode ser feita somente na Anatel."

Sem consolidação

Comentando sobre possível movimentação de consolidação no mercado brasileiro com TIM e Oi, ou mesmo algo mais radical entre todo o setor, o presidente da Anatel disse não acreditar que o cenário vá mudar até pelo menos 2022. "Não acredito em consolidação no curto prazo, rápida, que vai ficar praticamente monopólio, pelo menos de telecom tradicional", afirmou.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top