OUTROS DESTAQUES
INTX 2016
Para FCC, operadores de cabo não conseguirão barrar competição
quarta-feira, 18 de maio de 2016 , 13h56 | POR SAMUEL POSSEBON, DE BOSTON

Tom Wheeler, chairman da FCC, não vive um bom momento em sua relação com os setores regulados, sobretudo com as operadoras de TV por assinatura. Desde a posição da FCC sobre neutralidade de rede, passando pelas regras para set-top boxes até interferências em questões de empacotamento, nada do que a FCC tem feito tem agradado a NCTA, a associação de operadores de cabo dos EUA. Foi nesse clima que Wheeler compareceu ao encerramento da INTX 2016, principal evento de TV paga dos EUA, organizado pela NCTA, uma associação que, ironicamente, Wheeler presidiu nos anos 70. E o recado de Wheeler foi claro: ele sabe como o lobby funciona, e não vai recuar de suas posições. "Primeiro você monta um cenário em que se diz perseguido, depois fala dos horrores que podem vir", ironizou Wheeler. "Agora estou do outro lado recebendo essa mensagem, e entendo o que está acontecendo". Wheeler tem um mantra: "competição, competição, competição". Em todos os seus pronunciamentos e entrevistas, Wheeler marca essa posição, e tenta mostrar que hoje a indústria reage contra aquilo que um dia já defendeu.

"O cabo era o entrante, o competidor e as teles queriam manter o status quo, em detrimento do consumidor. O papel do regulador é promover a competição e deixar os consumidores terem os benefícios disso. Os incumbents nunca gostam de mudanças. O que me impressiona aqui é que a indústria não é mais cabo, é banda larga, são novos produtos, e é esse tipo de serviços inovadores que promovem melhor qualidade de vida e competição", disse. "Precisamos deixar o mercado livre e aberto para que a competição aconteça", afirmou o chairman da FCC.

Tom Wheeler, presidente da FCC

Tom Wheeler, presidente da FCC

Ao ser questionado sobre como via o futuro da televisão, ele disse que ela nunca foi tão importante. "Mas se olharmos as coisas, veremos a evolução da natureza da TV, a explosão das alternativas, pacotes menores ampliando o interesse do consumidor e vários dispositivos, e isso gera mais oportunidades a todos. Como garantir que estas alternativas cheguem? Esse é o nosso papel. As empresas de telefonia não tinham alternativa até haver competidores", disse Wheeler. Para ele, "estimular a competição é muito melhor do que ter regulação". Para o chairman da FCC, o papel da agência é levar à competição. "Vamos evoluir para um mercado competitivo? Esse é o nosso papel. Tenho estudado a evolução das redes. E há uma verdade que é a seguinte: se você tenta parar a mudança, sempre fracassa." Ironicamente, o mercado tradicional de TV por assinatura nos EUA nunca esteve tão concentrado em poucos operadores. As quatro maiores operadoras concentram 90% dos assinantes. A ponto de a própria NCTA passar a contar os assinantes do Netflix e Hulu como clientes de TV paga quando procura mostrar que o mercado é competitivo.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top