OUTROS DESTAQUES
Sondagem
Abinee aponta que mercado eletroeletrônico pode ter queda de 6% em 2016
quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016 , 15h27

Os negócios das empresas do setor eletroeletrônico continuaram desfavoráveis no mês de janeiro de 2016, mantendo a tendência apontada em todo o ano passado. Segundo Sondagem realizada pela Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), as vendas e encomendas recuaram para mais da metade dos entrevistados na comparação com janeiro do ano passado e em relação ao mês imediatamente anterior (52% e 51%, respectivamente). Também foi alto o percentual de empresas que tiveram negócios abaixo do esperado: 54%.

Para o ano de 2016, o resultado indicou otimismo: 49% das empresas estimam crescimento e 21%, redução nos negócios. Segundo o presidente da Abinee, esta tendência foi observada nos últimos dois anos, quando as projeções realizadas pelas empresas do setor no início do ano eram otimistas, e foram piorando no decorrer dos meses.

Em 2015, o saldo positivo de respostas inverteu-se no segundo semestre, passando a apresentar resultado negativo que permaneceu até o final do ano. "Com a perspectiva de retração do PIB, de 3,8% para este ano, a tendência para o faturamento do setor eletroeletrônico para 2016 também é de queda real de 6%", conclui Barbato.

O levantamento apontou ainda a continuidade da tendência de desemprego, com 41% das respostas indicando queda no nível de emprego, enquanto que apenas 7% das empresas apontaram crescimento. Foi verificado aumento nos estoques tanto de insumos e matérias-primas, como de produtos acabados.

"Com este resultado, a produção de bens elétricos e eletrônicos também deverá recuar em janeiro frente ao igual mês do ano passado", afirma o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato.

Para o mês de fevereiro, 41% das empresas esperam crescimento nas vendas em relação a fevereiro de 2015, enquanto que 38% das entrevistadas estimam que haverá queda.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top