OUTROS DESTAQUES
Balanço
Crescimento da TIM Brasil impacta balanço da Telecom Italia
terça-feira, 08 de maio de 2007 , 18h14 | POR REDAÇÃO

O grupo Telecom Italia registrou uma receita de 7,54 bilhões de euros no primeiro trimestre deste ano. Isso representa um pequeno crescimento de 0,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Mas poderia ter sido pior, não fosse o bom resultado financeiro de sua subsidiária móvel no Brasil. Enquanto a receita da empresa na Itália diminuiu em 280 milhões de euros em relação ao primeiro trimestre de 2006, o faturamento proveniente da TIM Brasil aumentou em 263 milhões de euros. Dentre as áreas discriminadas pelo balanço do grupo, o resultado da operação móvel brasileira foi o que mais impactou positivamente entre janeiro e março deste ano, seguido pelo segmento de banda larga na Europa, cuja receita aumentou 62 milhões de euros.
O Ebitda do grupo, contudo, caiu 4,3% na comparação anual entre trimestres, baixando de 3,3 bilhões de euros para 3,15 bilhões de euros. A margem Ebitda nesse primeiro trimestre foi de 41,8%, ante 44% no mesmo período de 2006.
O lucro líquido da Telecom Italia cresceu de 744 milhões de euros para 775 milhões de euros. Neste caso, contou positivamente uma melhora de 123 milhões de euros no lucro com aplicações financeiras.
A dívida bruta do grupo ao fim de março passado era de 45,1 bilhões de euros. A dívida líquida, por sua vez, era de 37,2 bilhões de euros.

Brasil

No primeiro trimestre deste ano, o faturamento da TIM Brasil foi de 1,1 bilhão de euros, o que representa um crescimento de 31,4% frente aos 837 milhões de euros registrados no mesmo período de 2006. O resultado poderia ter sido ainda melhor se não tivesse havido uma valorização do Real nos últimos 12 meses. Apenas duas áreas cresceram proporcionalmente mais que a TIM Brasil dentro do grupo Telecom Italia no período: banda larga européia (49%) e mídia (31,8%).
O Ebitda da TIM Brasil cresceu 48,6%, alcançando 269 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, contra 181 milhões no mesmo período do ano passado.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top