Menos de 1% dos usuários de zero-rating da Claro se limitam à navegação gratuita

Menos de 1% dos usuários pré-pagos da Claro que aderiram aos planos de zero-rating para Facebook e Twitter se limitam à navegação gratuita nessas redes sociais, informa a operadora. Ou seja, praticamente todos, ou mais de 99%, também acessam outros sites e, logo, precisam pagar pelo tráfego de dados. Cabe lembrar que a adoção dessas parcerias entre teles e redes sociais teve como objetivo estimular o usuário de baixa renda a experimentar a Internet pelo celular. A ideia nunca foi que ele ficasse limitado ao Facebook ou ao Twitter, mas que estas redes sociais servissem de janela para o resto da Internet – e, aí sim, o consumidor precisa pagar por um plano de dados.

Notícias relacionadas
Agora, a Claro entra em uma nova fase da sua estratégia, na qual o foco não está mais na promoção da tarifa zero de acesso ao Facebook ou ao Twitter, mas nos planos pagos, cuja franquia de dados diária foi elevada recentemente. "Nossa promoção é (focada na) Internet Turbinada, a gente quer ser realmente relevante", declarou o diretor de marketing da operadora, Rodrigo Vidigal. Os planos de zero-rating com o Facebook e o Twitter continuam disponíveis, segundo o presidente da Claro, Carlos Zenteno.

Vale destacar que o governo brasileiro recentemente anunciou parceria com o Facebook para participar do programa Internet.org, que pretende universalizar o acesso gratuito a alguns serviços – inclusive à rede social, mas sem navegação livre na Internet. "É uma mudança: (o usuário) pode ter outros aplicativos e navegadores e tem a liberdade para escolher conteúdo com essa promoção mais abrangente", disse Zenteno. "Vamos manter a promoção (de zero-rating) para a base de clientes, ele poderá escolher."

Qualidade

Questionado a respeito do desempenho da operadora nas metas de qualidade da Anatel divulgadas na quarta-feira, 29, Carlos Zenteno justificou que a Claro tem melhorado nas medições, mas ressaltou que os parâmetros "são bem exigentes". O executivo afirma que a empresa busca permanentemente a melhora dos índices. Para ele, a melhora da qualidade "é uma situação de necessidade básica", em especial diante do cenário de migração das receitas de voz para dados. Zenteno não questiona a metodologia da agência: "Fazemos todo o trabalho nas regras do jogo, e trabalhamos em cada unidade federal e cidades para entregar a qualidade".

Disney

Outra novidade da Claro é a parceria anunciada nesta quinta-feira com a Disney para o programa Recarga Disney Gogo's. O cliente pré-pago da operadora pode colocar créditos no valor de R$ 20, R$ 30, R$ 50 ou R$ 100 em qualquer canal de recarga. Logo em seguida, ele recebe um SMS que pode ser utilizado para trocar por um boneco da Disney em 12 mil bancas de jornal, além de mais de 1.200 lojas da operadora no País. Com isso, a empresa espera um aumento de 12% nas receitas com recargas, além de atrair clientes da concorrência, segundo Rodrigo Vigal.

A promoção, válida até agosto, conta com 22 personagens exclusivos para clientes Claro, incluindo dois dourados que terão menos unidades distribuídas. O usuário não precisará pagar a mais – o custo do brinquedo será bancado pela operadora. O acordo inclui ainda a editora Panini, que produz um álbum de figurinhas com os personagens e um encarte exclusivo para a coleção da promoção da tele.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.