Nokia nega retorno à produção de smartphones, mas ampliará licenciamento de tablet

Quase duas semanas depois de anunciar a assinatura de um acordo para adquirir a Alcatel-Lucent, a Nokia voltou a se sobressair no noticiário na tarde deste domingo, 26, com os rumores de que estaria planejando retomar a fabricação de smartphones, após ter saído desse mercado no ano passado com a venda de sua divisão de celulares para a Microsoft.

Notícias relacionadas
Em um comunicado publicado em seu site, a Nokia desmentiu as reportagens que diziam que a companhia está planejando voltar a produzir produtos de consumo a partir de um centro de pesquisa e desenvolvimento na China. "Essas reportagens são falsas", disse a empresa, acrescentando que "atualmente não tem planos de fabricar ou vender produtos de consumo [como smartphones ou tablets]".

Apesar do desmentido, o site Re/code informou na semana passada que a fabricante finlandesa pode licenciar seus projetos de dispositivos móveis a terceiros, que ficariam responsáveis pela fabricação, vendas e distribuição, tanto que licenciou o tablet Nokia N1 à Foxconn.

Lançado na China no início deste ano, o tablet opera com sistema operacional Android, do Google, e é projetado, fabricado e distribuído pela Foxconn, por meio de sua subsidiária Hon Hai Precision Industry, através de um acordo de licenciamento.

"A Nokia poderá fazer mais ofertas semelhantes a partir do fim de 2016, quando poderá começar a usar a sua marca sem restrições, conforme acordo assinado com a Microsoft por ocasião da venda de sua divisão de celulares", disse o CEO da Nokia, Rajeev Suri, no início da semana passada. "Temos uma marca com muita credibilidade, que é conhecida em todo o mundo. Por que não rentabilizá-la novamente, de forma apropriada?", indagou ele.

O executivo acrescentou que qualquer acordo de licenciamento que envolva tecnologia mais avançada ainda levará anos para ser liberado.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.