Reservas de IPv4 na América Latina e Caribe chegam ao fim

Foto: Pixabay

O Registro de Endereçamento da Internet para a América Latina e o Caribe (Lacnic) informou que o estoque de endereços IPv4 para a região se esgotou nesta quarta-feira, 19.

Durante esta última fase de outorgas (iniciada em fevereiro de 2017), a Lacnic e os registros nacionais de Internet atribuíram mais de 5,6 milhões de endereços IPv4, sendo mais de 4 milhões somente no Brasil. Apenas novos entrantes no mercado de Internet estavam sendo contemplados, e com uma pequena quantidade de endereços.

Essas organizações também receberam alocações de blocos IPv6: com isso, mais de 96% das empresas com ASN e IPv4 já possuem alocações de endereços da nova geração. Segundo o Registro.br, o tráfego IPv6 no Brasil já representa mais de um terço do volume total na região.

Desde que começou a administrar as outorgas de IPv4, 189,3 milhões de endereços a mais de 11,2 mil organizações e empresas na América Latina e no Caribe foram atribuídos pela Lacnic.

Ritmo

Na primeira quinzena de agosto, o número médio de atribuições pela Lacnic dobrou, antecipando assim a data projetada para o esgotamento dos blocos de endereços IPv4. Também foi registrado um número recorde de novos associados (234) na história do entidade.

A Lacnic continuará recuperando endereços IPv4; eles podem ser revogados ou recebidos pela Internet Assigned Numbers Authority (IANA), que controla os números e alocações em nível global. Este espaço recuperado deve passar por um processo de quarentena de seis meses: como o início em março, novos blocos devem ser disponibilizados em setembro.

"Diante desta situação, enfatizamos o apelo às organizações da região para que acelerem a implantação do IPv6 em suas redes e acelerem o crescimento da Internet", afirmou a Lacnic.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.