Vivo e TIM avançam em privacidade de dados, diz pesquisa do InternetLab

Foto: Pixabay

Pesquisa realizada pelo Instituto InternetLab e divulgada nesta segunda-feira, 16, mostra que as operadoras de telecomunicações têm evoluído nas políticas e boas práticas de proteção de dados pessoais dos seus clientes. TIM e Vivo seguem como as operadoras com as melhores prática no conjunto das seis categorias analisadas da pesquisa.

Nathalie Fragoso, coordenadora da pesquisa "Quem Defende Seus Dados", diz que seis categorias foram analisadas, dentre elas canais de acesso à políticas de privacidade, contrato de serviços e relatórios de transparência. "Comparando os números de agora com os de 2018, enxergamos uma significativa melhora. Talvez a implementação da LGPD tenha ocasionado essa mudança. Nitidamente, há uma evolução entre as boas práticas das empresas no quesito privacidade", disse Fragoso.

A coordenadora da pesquisa diz ainda que outro aspecto que pode ter ajudado a essa melhora foi o acatamento pelas operadoras de sugestões apontadas nos relatórios publicados nos anos anteriores e que foram incorporados às boas práticas das empresas.

Na América Latina

Veridiana Alimonti, analista sênior de políticas públicas da Eletronic Frontier Foundantion (EFF), explica que a pesquisa do InternetLab é uma versão brasileira do "Who has your back?", desenvolvida pela EFF em outros países da América Latina desde 2015. Alimonti aponta que internacionalmente, a operadora Telefónica, controladora da Vivo no Brasil, detém as melhoras práticas, especialmente porque publica periodicamente relatórios de transparência.

"Na América Latina, Telefónica, controladora da Vivo e da Movistar; e Millicom, dona da Tigo, costumam estar entre as melhores colocadas por influência de suas políticas globais. Na categoria Relatório de Transparência, o da Telefónica é mais detalhado e o relatório da Millicom é mais claro em relação a práticas de acesso direto do governo à rede das empresas", disse Alimonti.

A representante da EFF diz ainda que América Móvil, controladora da operadora Claro no Brasil, apesar de não possuir políticas de transparência em nível global, apresenta avanços locais em categorias como pedidos de bloqueio na Colômbia e informe de transparência/guia de procedimentos no Peru e no Chile, sendo que foi a melhor avaliada no Chile e empatou com a Telefónica no 1º lugar no Peru.

Em sua quinta edição, o projeto "Quem Defende os Seus Dados" avaliou as seguintes empresas (independentemente de pertencerem ao mesmo grupo econômico): Oi banda larga fixa e móvel; Vivo banda larga fixa e móvel; TIM banda larga fixa e móvel; Net, Claro e Nextel; Algar; e Sky.

Confira a pesquisa do InternetLab aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.