Publicidade
Início Newsletter Dona da Claro, América Móvil vai reduzir investimentos em 2024

Dona da Claro, América Móvil vai reduzir investimentos em 2024

Foto: Pixabay

Controladora da Claro, a mexicana América Móvil (AMX) deve reduzir o ritmo de investimentos em 2024 e aportar cerca de US$ 7 bilhões na expansão de redes nos mercados em que atua. Em 2023, o grupo investiu US$ 8,6 bilhões.

Os dados foram divulgados pelo CEO da América Móvil, Daniel Hajj, durante conferência com analistas sobre balanço divulgado nesta semana. A reunião foi realizada na última quarta-feira, 14.

“Se olharmos para os últimos três anos, investimos cerca de US$ 25 bilhões. Com esses números, expandimos significativamente a capacidade nas redes 4G, 4,5G e implementamos a tecnologia 5G em muitos países. Por exemplo, no Brasil, temos mais de 200 cidades com cobertura 5G, e no México, mais de 120 cidades”, apontou Hajj.

Notícias relacionadas

“Então o que estamos vendo este ano é que temos a capacidade de reduzir o capex. Em relação aos US$ 8,6 bilhões de capex do ano passado, vamos reduzir para US$ 7 bilhões este ano. Esse é o nosso orçamento”, completou o CEO – ainda destacando desejo de seguir crescendo “em todos os países da América Latina e Europa”, com destaque para investimentos em fibra e 5G.

Um dos fatores que explicam a redução é um 2024 pouco movimentado do ponto de vista de leilões de espectro na região. “Não vemos nenhum gasto importante de espectro este ano além do Equador. Isso vai nos permitir reduzir o capex para US$ 7 bilhões”, afirmou Hajj.

Brasil

Um dos questionamentos de analistas para a América Móvil foi sobre a capacidade do mercado móvel seguir crescendo após ritmo forte vivenciado pela Claro em 2023 (quando o segmento cresceu 14% em receitas e 7% em receita por usuário).

Entre as indicações da controladora estão um interesse em seguir crescendo market share no segmento e ajustar preços, se possível. “O Brasil é um mercado onde precisamos agir de forma inteligente. Portanto, se houver uma oportunidade e se a inflação ainda nos permitir aumentar os preços, iremos aumentá-los”, afirmou Hajj.

“Mas nós vamos competir e queremos ter market share. Portanto, queremos aumentar os preços devido à inflação e aos custos, mas com a rede, com o 5G, com a cobertura, todos os investimentos que temos feito no lado comercial, acredito que ainda podemos crescer um pouco nossa participação de mercado”, indicou o CEO da AMX.

Números

Em 2023, a América Móvil somou uma receita de 797 bilhões de pesos mexicanos, ou cerca de U$ 46 bilhões. Houve retração de 1,6% nos valores do faturamento, que não incluíram a operação na Argentina por conta da volatilidade cambial verificada no país vizinho (a AMX ainda deve apresentar números consolidados).

Já o lucro do grupo mexicano em 2023 aumentou 12,5% e alcançou 82 bilhões de pesos mexicanos. O equivalente a US$ 4,8 bilhões no consolidado do ano passado. Apenas no quarto trimestre o lucro cresceu 68%, mesmo com queda de 2,5% nas receitas.

1 COMENTÁRIO

  1. “Entre as indicações da controladora estão um interesse em seguir crescendo market share no segmento e ajustar preços, se possível. “O Brasil é um mercado onde precisamos agir de forma inteligente. Portanto, se houver uma oportunidade e se a inflação ainda nos permitir aumentar os preços, iremos aumentá-los”, afirmou Hajj.”

    Quer dizer que só aumentará os preços se a inflação aumentar é isso? E até que ponto? Se a inflação se mantiver dentro da meta ou ficar abaixo disso haverá aumento de preços por parte da Claro?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile