China registra pela primeira vez retração na venda de smartphones

A China registrou no primeiro trimestre a primeira queda na venda de smartphones em seis anos, de acordo com relatório da IDC, divulgado neste domingo, 10, o que fez acender "o sinal de alerta" não só para os fabricantes locais, como Xiaomi, HTC, Huawei e Lenovo, mas principalmente para gigantes como Apple e Samsung Electronics.

Notícias relacionadas
O levantamento mostra que, entre janeiro e março deste ano, a venda de celulares no país, o maior mercado consumidor de smartphones do mundo (a China ultrapassou os EUA em 2011), caiu 4% em relação ao mesmo período do ano passado. As vendas de 98,8 milhões de aparelhos representam uma retração de 8%, quando comparadas às do último trimestre de 2014.

Analistas de mercado atribuem a desaceleração, em grande parte, ao baixo índice de consumidores que compraram o primeiro celular. "Os smartphones têm hoje uma taxa de penetração superior a 90% na China", disse Tom Kang, diretor de pesquisa da Counterpoint, ao The Wall Street Journal. Isso, segundo ele, significa que quase toda pessoa na China que queria um smartphone já possui um. "A China é agora um mercado de substituição", observou Kang, o que, em outras palavras, quer dizer que o mercado já atingiu a saturação. Agora, dizem outros analistas, os fabricantes de smartphones terão de apostar na atualização de aparelhos para garantir participação de mercado.

Apple e Samsung

A Apple hoje vende mais iPhones na China do que nos EUA e no primeiro trimestre se tornou a maior fabricante de smartphones em participação de mercado naquele país, segundo a IDC, superando a chinesa Xiaomi, com as vendas do iPhone 6 e iPhone 6 Plus.

Já a Samsung caiu para o quarto lugar na China no primeiro trimestre, sendo que há um ano ocupava o topo do ranking, ainda de acordo com a consultoria. Embora veja os indícios de retração como preocupantes, a empresa vê boas perspectivas para o seu novo Galaxy S6. "Há sinais de que o crescimento explosivo de smartphones na China vai abrandar este ano, mas a grande maioria de 885 milhões de usuários móveis chineses está usando aparelhos low-end e smartphones de gama média", disse a Samsung em comunicado. "Isso deixa muito espaço para atualizações para modelos high-end conforme o mercado for amadurecendo."

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.