Moody's rebaixa nota de crédito da Oi

A Oi enviou nesta quarta, 7, comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informando ao mercado e aos acionistas que a agência de avaliação Moody's revisou a nota de crédito atribuída à empresa. A Oi teve sua nota de longo prazo rebaixada de Ba1 para Ba3/A3.br, e de "certas obrigações" (dívida sem seguro) da companhia de Ba2 para B1/Baa3.br. Ainda segundo a agência, a perspectiva (outlook) é negativa. A operadora não informou se tomará qualquer tipo de atitude após esse anúncio.

Em nota, a Moody's afirmou que a Oi possui "compromissos de dívidas significativos nas companhias subsidiárias que têm uma reivindicação prioritária na maioria dos fluxos de caixa operacionais". Diz ainda que a companhia apresenta de forma "persistente" um aumento na alavancagem e no consumo de caixa, o que reduz a flexibilidade financeira e leva a métricas que a fizeram ter a nota rebaixada. "A Moody's acredita que, apesar do corte nos gastos e nos esforços de eficiência, seu negócio vai encarar futura deterioração de margem por conta de uma mudança desfavorável de mix de produto para TV paga e banda larga, além da pressão de preços inerentes em seu segmento de valor almejado, especialmente durante o atual desaquecimento econômico do Brasil", declara a agência.

Ainda de acordo com a Moody's, a operadora também tem dificuldades em atualizar sua infraestrutura de rede frente ao aumento da demanda de consumo, ambiente competitivo e pressões de margem. A previsão da agência é que a alavancagem ajustada da Oi vai se aproximar de 5.5x até o final do ano, e espera que isso continue a consumir caixa até 2017. Espera ainda que a queima de caixa continue alta, o que deverá influenciar na redução de investimentos de rede, impactando negativamente no futuro especialmente na comparação com os planos de investimentos da Telefônica e da América Móvil no Brasil.

Notícias relacionadas

No caso de a Oi manter alavancagem em uma taxa de 5x por um período maior, ou se não mostrar que vai deixar de queimar o caixa, a Moody's já deixou claro que pode voltar a rebaixar a nota da empresa.

Apesar do rebaixamento da nota, as ações da Oi continuaram a apresentar alta. Os papéis da empresa fecharam as negociações na BMF&Bovespa nesta quarta com alta de 8,26% (OIBR4) e 6,52% (OIBR3), muito em função das especulações sobre uma eventual negociação com a TIM e da entrada de um possível novo investidor, nada oficial ou sequer discutido pelo conselho da empresa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.