Telefônica faz oferta para comprar a GVT que pode chegar a R$ 6,5 bilhões

A Telefônica encaminhou fato relevante à CVM na manhã desta quarta, 7, informando a aprovação, por seu conselho de administração, de uma oferta pública voluntária para a aquisição de 100% das ações da GVT ao preço de R$ 48,00 pagos em dinheiro, sujeita a algumas condições. Com isso, faz uma oferta superior à da Vivendi, que era de R$ 42,00 por ação.
Assim como a oferta da Vivendi, a Telefônica coloca como condição o controle de pelo menos 51% das ações, a dispensa dos mecanismos de proteção de dispersão da base acionária previstos em estatuto pela GVT e a aprovação pela Anatel. Ao contrário da oferta da Vivendi, não existe um acordo prévio entre a Telefônica e os controladores da GVT (Grupo Swarth e Global Village Telecom Holland BV), que controlam cerca de 30% do capital da empresa. Pelo menos, esse acordo prévio não está explícito no fato relevante, o que leva a crer que se trata de uma oferta por parte da Telefônica não esperada pela GVT.
Segundo o fato relevante da empresa espanhola, a oferta total pode chegar a R$ 6,5 bilhões e se justifica por conjugar suas operações no Brasil e as da GVT, o que "apresenta uma lógica estratégica bastante atraente para ambas as companhias". Segundo a Telefônica, "as operações da GVT apresentam um encaixe geográfico perfeito com as operações da Telesp e a complementaridade dos seus negócios não apenas permitirá que a Telesp tenha uma presença efetiva na Região II do PGO, como também propiciará a ampliação da concorrência no mercado de telecomunicações em âmbito nacional. A alta administração da GVT é um exemplo comprovado de capacidade de criação de uma empresa líder de telecomunicações no Brasil e a Telesp tem muito interesse em manter essas habilidades, experiência e motivação no grupo resultante".

Notícias relacionadas
A oferta está sendo feita antes do prazo final de 16 de outubro estabelecido pela Vivendi para a conclusão do acordo. Com isso, as ações da GVT iniciaram as negociações em bolsa nesta quarta com alta de 15,65% no meio da manhã e cotadas em R$ 47,30.
A GVT teve nos 12 meses encerrados em junho receita líquida e EBITDA ajustado de R$ 1,5 bilhão e R$ 574 milhões, respectivamente. Em 30 de junho de 2009 a GVT tinha aproximadamente 2,3 milhões de linhas em serviços, incluindo voz, banda larga, dados e serviços de VoIP. Recentemente, a GVT deu início à implementação de sua rede de ultra banda larga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.