M-Cash aposta no segmento de compras via celular

A tecnologia de pagamento via celular ainda não deslanchou no Brasil mas a M-Cash, empresa criada no final do ano passado para atuar nesse segmento, já comemora algumas conquistas. Depois de firmar parceria com o HSBC espera contar com mais dois bancos até o final do ano que vem. O sistema permite a compra, via celular, de produtos das empresas virtuais Livraria Cultura, americanas.com, comprefacil.com.br, mmartan.com.br e sacks.com.br. Com o M-Cash o correntista do HSBC, usuário de qualquer operadora, se identifica por meio do número do celular, recebe uma ligação para confirmação da compra e digita uma senha para concluir a transação que é realizada via débito na conta corrente. ?Mais do que pagamento móvel, o M-Cash é um sistema de autenticação via linha celular, criando uma opção ao pagamento por cartão de crédito?, explica o presidente da M-Cash, Gastão Mattos.
Em 2007 além das lojas virtuais o sistema também entrará no varejo físico, a exemplo do cinema paulista HSBC Belas Artes que já vende ingressos por meio do M-Cash na bilheteria. Outro avanço no ano que vem é a opção do crédito além do débito.
Para 2007, a previsão é de que sejam realizadas 20 milhões de transações pelo M-Cash, número que deverá aumentar para 120 milhões em 2008, segundo a empresa. ?Em volume esperamos um montante de R$ 3,5 bilhões em transações em três anos, quando outros bancos participarão dos sistema?, diz Mattos.

Notícias relacionadas
O M-Cash tem como principais acionistas a Megadata, uma empresa do Grupo Ibope, e a Albatroz Participações.

Mercado pouco maduro

Em 2003 a empresa Ingresso.com iniciou um projeto piloto para venda de ingressos de cinema via celular, mas o sistema teve pouca adesão. ?Não estendemos a operação porque a tecnologia WAP não estava madura no País?, diz o presidente da empresa, Jorge Alberto Reis. Neste ano a empresa manteve um projeto piloto em São Paulo em parceria com a Visa e o Cinemark Iguatemy, onde o cliente recebe um código de barras via SMS, opção mais barata que o WAP. ?Queremos um só parceiro e estamos analisando proposta de diversas operadoras para viabilizar o projeto para outras redes de cinemas?, diz o executivo. A idéia é oferecer via SMS, além do ingresso, informações da programação do cinema, sinopse de filmes, etc.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.