Fornecedores aproveitam o SeAC para apresentar novas tecnologias

Com novas outorgas providas para o Serviço de Acesso Condicionado (SeAC) e novas tecnologias abrindo mais o leque de oportunidades, operadores estão em busca das melhores soluções para suas necessidades, como foi visto durante a ABTA 2012 em São Paulo, evento que reuniu profissionais do setor entre 31 de julho e 2 de agosto. O problema para essas empresas é se diferenciar das outras, levando-as a apostar em novas tecnologias para atrair clientes.

Notícias relacionadas
A Orange Tecnologia, em parceria com o centro de pesquisas gaúcho Bichara, apresentou durante o evento uma plataforma de IPTV, embora também disponível para cabo e DTH, com middleware próprio baseado em QTML, uma linguagem de programação baseada em multimídia e com foco no design. Trata-se de uma solução fim-a-fim para empresas que já possuam estrutura de rede, como provedores de Internet, e queiram oferecer serviços de TV paga.

“Temos toda a solução desde o headend, o core de rede onde é injetado os canais, codificados para IP e distribuídos dentro da rede até chegar ao cliente. Junto com isso, tem a ferramenta de Business Support System (BSS) que faz a gestão do cliente (qual pacote ele tem, quantos set-top boxes possui), tudo integrado com o CRM”, diz o diretor comercial da empresa, Fábio Henrique Sulzbacher. O diferencial, segundo ele, é levar ao operador informações em tempo real sobre o usuário, gerando mídia.

A Orange ainda propõe um serviço de gravação de conteúdo na rede, sem a necessidade de disco rígido na residência. A diferença é que, em vez de um nDVR comum, a empresa oferece apenas canais de TV aberta e por um intervalo de uma semana.

Apresentado durante a ABTA 2012, o aparelho lembra uma Apple TV, podendo ser “escondido” atrás de televisores. A meta é de que, em algum momento no futuro, o aparelho passe a oferecer serviço de multitelas, pois o desenvolvimento já leva em consideração a adaptação para smartphones e tablets. Apesar de Sulzbacher afirmar que já há interessados, a empresa ainda não fechou com nenhum cliente.

Sistema aberto

Por sua vez, a sul-coreana Kaonmedia compareceu à ABTA para exibir um set-top baseado em Android com suporte ao plugin Flash 10.3, permitindo acesso a sites e aplicativos online baseados na plataforma multimídia da Adobe. Por ser um dispositivo com o sistema operacional do Google, uma das vantagens é poder portar os apps próprios do sistema, como jogos, livros sob demanda, comunicadores e redes sociais. A própria integração com dispositivos móveis com a mesma plataforma é sugerida como um controle remoto.

Para o diretor de vendas regionais para a América Latina da Kaonmedia, Jeff Kim, a solução “é interessante não só para operadores de IPTV, mas também provedores de conteúdo que querem instalar terminais em hospitais, escolas e outros locais”. A empresa já tem negócios no México, Argentina, Chile e Colômbia, mas ainda estão em “conversas” com operadores de TV e companhias de telecomunicações, agora capacitadas pelo SeAC. “Estamos buscando parceiros que possam ser representantes de nosso produto e até produzir em uma fábrica, para melhorar a logística e preços”.

Já a Cisco compareceu ao evento com uma solução multitela, compatível com tablets Android ou iPad. O foco da empresa é de proporcionar sincronismo com publicidade que passe na TV e no dispositivo móvel, aproveitando um aplicativo ou uma interface HTML5 pelo navegador do aparelho. É possível, por exemplo, clicar em um tênis de um jogador de basquete durante uma partida para poder comprá-lo online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.