Telefônica ainda não consegue levar YouTube ao IPTV

Apresentada como um case de sucesso pelo YouTube, a integração de IPTV com conteúdos over-the-top (OTT) é uma possibilidade para operadoras brasileiras também. A Telefônica/Vivo afirma que está em conversas "há anos" com o Google, mas nada ainda parece ter saído do papel. "Temos falado disso muitas vezes. Na minha opinião, o Google não é o diabo. Nossos clientes querem conteúdo, e queremos tentar agregar e misturar conteúdos", diz o diretor de estratégias e produtos OTT da Telefônica Digital, Fernando Garcia. "Eu não vejo a mistura como concorrência, pelo menos até hoje. Não sei até onde ele vai chegar", diz.

Notadamente, ainda não há competição mesmo, mas há sinais de integração entre as diferentes tecnologias acontecendo. Segundo Garcia, a convergência entre plataformas OTT (como o Vivo Play, da própria operadora) e IPTV ocorre somente no backend. "Utilizamos uma CDN, então a gente introduz as tecnologias OTT dentro de uma mesma plataforma. Colocamos pedacinhos de OTT para ser mais compatível com novas tecnologias", diz ele. Na visão do executivo, ainda há espaço para o leanback, a experiência de ver televisão da forma mais tradicional, na sala de casa. "Mas existe uma explosão de dispositivos conectados. Está sendo criado um novo cenário de multitasking e ninguém sabe muito ao certo para onde ir", reconhece.

Para ele, o conceito de cord-cutting (ou seja, de usuários que deixam de assinar TV paga para utilizar apenas a Internet) não se concretizou, mas "serviu para despertar os gigantes", pois levou as grandes empresas a procurarem diferenciar serviços. Ainda assim, ele ressalta que a indústria de conteúdo de TV está enfrentando "uma tempestade perfeita", com o ciclo vicioso de maior penetração de banda larga; aumento da pirataria; mais devices conectados; demanda por conteúdo on-demand; habilidade de produção de conteúdo pelo usuário; e melhores redes. "No final do dia, estamos vendendo entretenimento, portanto, precisamos nos adaptar a cenários que não existiam com essas cadeias de valor", declara.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.