MCTI projeta R$ 2,1 bilhões para TICs em dois anos

Incentivar o desenvolvimento de tecnologia nas empresas. Essa é a nova meta do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) anunciada pelo ministro Marco Antônio Raupp, em audiência na Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado Federal. Apenas as tecnologias de informação e comunicações (TIC's), uma das áreas prioritárias para o ministério, devem receber R$ 2,1 bilhões. "O MCTI antes era voltado especificamente para administrar as universidades e centros de pesquisa, e agora se volta cada vez mais em se tornar um parceiro das empresas, em incentivar a inovação na iniciativa privada", disse o ministro. Segundo ele, o biênio 2012/2013 será de investimentos recordes no setor privado.

Segundo Raupp, no último ano, R$ 57 milhões foram destinados a ações do TI Maior, um dos carros-chefe da área. "Esse foi um programa que planejamos durante anos. Desde que o lançamos, no ano passado, temos recebido um retorno muito bom das empresas, que têm aderido e gerado desenvolvimento de softwares e serviços de comunicação cada vez mais inovadores e de mais qualidade. A área é uma das estratégicas para o País", afirmou.

Um dos gargalos no setor de tecnologia é a falta de pessoal qualificado. Para tentar solucionar o problema, o MCTI está desenvolvendo o Forma Engenharia, programa de estímulo para as universidades da área e para atrair estudantes do Ensino Médio para o setor. Cerca de 700 projetos e 2,5 milhões de estudantes participam do programa.

O ministro convocou ainda as empresas a buscarem associações com Universidades, aproveitando a infraestrutura de tecnologia de comunicação instalada nos campi pelo poder público. "A Rede de Comunicação de Dados conectará com alta velocidade mais 600 instituições até o fim do ano. Queremos que essa grande infraestrutura seja aproveitada pelas empresas. Um dos grandes feitos desse ano foi ter conseguido conexão até Manaus, um grande desafio para nós", completa.

Parte dos programas citados pelo ministro Marco Antônio Raupp compõe o Inova Empresa, o principal conjunto de ações da pasta para estimular a inovação na iniciativa privada. "Estamos trabalhando para elevar a produtividade nas empresas, elevar a competitividade de nossa iniciativa privada e, consequentemente, do País".

Renúncia Fiscal

O ministro destacou ainda a ampliação de recursos não-orçamentários destinados a ciência, tecnologia e inovação. "Os investimentos em ciência e tecnologia estão se expandindo para além dos investimentos orçamentários, isso mostra o comprometimento tanto das empresas quanto do governo para inovação", comentou.

Segundo o ministro, os valores repassados a empresas por meio de renúncia fiscal através da Lei de Informática somam R$ 3,8 bilhões, nos quais foram beneficiadas 425 empresas, gerando R$ 920 milhões em inovação. Já a Lei do Bem concedeu o benefício para 795 organizações, gerando R$ 6,7 bilhões em desenvolvimento tecnológico e R$ 3,8 bilhões de renúncia fiscal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.