OUTROS DESTAQUES
Tecnologia
Para Orange, SDN e NFV são o futuro, mas o caminho é complexo
quinta-feira, 22 de outubro de 2015 , 09h37 | POR SAMUEL POSSEBON, DE LONDRES, A CONVITE DA ALCATEL-LUCENT

A operadora francesa Orange é hoje um dos casos mais avançados de operadoras a adotarem uma rede baseada em software (SDN) com serviços virtualizados (NFV), dois dos conceitos/tecnologias mais impulsionados por fornecedores e analistas de telecomunicações como tendências. Mas a própria operadora admite que ainda há um longo caminho adiante. Para Alain Maloberti, SVP da Orange Labs, a primeira observação é que adotar SDNs sem NFV não faz muito sentido, e vice-versa. "O que todos querem é serviços mais flexíveis, com menor custo, QoS (qualidade de serviço) e flexibilidade, mas chegar lá é bem mais complexo". Segundo ele, se bem adotada, uma rede controlada por software de fato pode trazer redução de custos, mas a necessidade de integrar com equipes de IT e rede também aumenta muito. "Além disso, SDNs  e NFVs não são só uma missão para equipes de TI e rede, mas para toda a equipe de serviços, para todos os processos da empresa". Ele aponta ainda dificuldades como padronização de equipamentos entre múltiplos fornecedores, interoperabilidade e protocolos abertos como aspectos essenciais (e ainda não plenamente atendidos) para que as redes definidas por software e os serviços virtualizados se tornem uma realidade. Maloberti participou esta semana do Broadband World Forum, realizado em Londres.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
, ,
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
 
Top