Governo estudará inclusão de tablets no programa Minha Casa Melhor

A Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) se reuniu nesta terça-feira, 17, com a presidenta Dilma Rousseff para apresentar a proposta de inclusão dos tablets entre os produtos beneficiados pelo programa Minha Casa Melhor, do governo federal, que oferece linha de crédito para quem comprou imóvel através do programa de habitação Minha Casa, Minha Vida. Por meio do programa, o beneficiado pode obter crédito para comprar até dez itens diferentes, entre eletrodomésticos e móveis para casa, com limitações quanto ao uso e o valor da compra de cada produto.

Segundo o presidente da Abinee, Humberto Barbato, a presidenta efetivamente gostou da proposta, mas ainda será necessário apresentar uma série de informações sobre preço e modelos existentes do produto para que, de fato, comece a fazer parte do programa. "Devemos apresentar tudo ainda esta semana e, no mais tardar, em dez dias fazer a revisão do programa", destacou Barbato.

O objetivo é alavancar a venda no mercado de PCs, que vem apresentando constante declínio. Barbato citou, inclusive, que o programa tem sido um importante alavancador para as vendas de notebooks, produto fundamental para a inclusão digital da população, e será também para os tablets a partir da aprovação. "O tablet é um produto muitas vezes mais barato que o telefone celular, nada mais justo que estar contemplado no programa."

No Minha Casa Melhor, a compra de notebooks está restrita a produtos com acesso à Internet ou desktop, ambos no valor de até R$ 1.150. Para os tablets, a Abinee sugere compra no valor de até R$ 799, mas isso ainda será discutido com o governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.