Vitórias no tapetão

Se for anulado o contrato na área 2 com o Tess, o consórcio volta a fazer parte do grupo de empresas que poderiam disputar a licitação na área 3 (Rio de Janeiro), 4, (Minas Gerais), 5 (Paraná e Santa Catarina) e 6 (Rio Grande do Sul). As propostas do Tess para estas áreas, que não foram abertas, seriam então reveladas, havendo, portanto, o risco de vitória em alguma delas. Assim, as outorgas conseguidas pelo Algar (área 3), Vicunha (área 4), Global (área 5) e Telet (área 6) estariam ameaçadas. E mais, o consórcio Telet poderia abrir mão da concessão na área 6 para ficar com a área 2, área considerada mais atraente do que o estado do Rio Grande do Sul. Ou optar por permanecer no Sul (fato que já acontece por direito), o que levaria a Brascom (onde participam AG Telecom, South Western Bell, Mannesmman e Monteiro Aranha) a levar a área 2, onde obteve a quarta colocação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.