Publicidade
Início Teletime Setor vê dificuldades para Netflix no Brasil

Setor vê dificuldades para Netflix no Brasil

Os executivos de algumas das principais empresas do setor de TV por assinatura estão preocupados com a provável chegada da Netflix no Brasil. No primeiro painel do Congresso ABTA 2011, que aconteceu nesta terça, 9, executivos apontaram a necessidade de “blindar” o setor contra a concorrência dos serviços over-the-top.
“A única coisa que não podemos fazer em relação ao Netflix é subestimá-lo”, disse o diretor geral da Globosat, Alberto Pecegueiro. Ele lembrou que o modelo de negócios do serviço norte-americano ainda está em formação e que recentemente a empresa desatrelou a assinatura do serviço virtual do serviço físico (de distribuição de DVDs, causando danos de imagem a uma marca muito bem conceituada.
O serviço deve chegar no Brasil no próximo mês e tem como público potencial os assinantes de banda larga, que são, em sua maioria, assinantes também do serviço de TV. Antônio João, diretor executivo do Via Embratel, destacou que o serviço não deve chegar ao País com o mesmo potencial americano, uma vez que a penetração da banda larga em diversos municípios é inexistente ou irrelevante.

Notícias relacionadas
A solução, aponta José Felix, presidente da Net, é fazer parcerias com programadores para criar a oferta de novos serviços. “Podemos blindar o setor”, diz.
Fernando Medin, VP sênior e diretor geral da Discovery Brasil, diz que qualquer que seja a transformação no setor, a figura do programador sempre será fundamental na agregação do conteúdo. “As marcas dos canais de TV sempre terão papel fundamental”. O problema, aponta Medin, é que as programadoras terão de “concorrer com outra plataforma em desigualdade de condições, pois eles não terão as cotas de conteúdo”.
Outra dificuldade ao modelo da Netflix no Brasil é o fato de que a quantidade de filmes de terceira e quarta janelas na TV paga brasileira é muito maior que nos EUA, e essa é justamente a janela do Netflix.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile