Ericsson se une ao governo brasileiro para iniciativas em IoT e 5G

Durante a Mobile World Congress 2017, que aconteceu nesta semana em Barcelona, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) assinou acordos e procurou divulgar o Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT) e do Projeto Brasil 5G, uma iniciativa privada com apoio do governo. Entre esses acordos, o MCTIC anunciou parceria com a Ericsson para fomentar um polo de IoT com foco em segurança pública em São José dos Campos (SP), com apoio da prefeitura do município.

A iniciativa aproveita a infraestrutura de smart city que a fornecedora sueca instalou na cidade, que conta com sistema de monitoramento com 500 câmeras, integração de smart software, 205 km de cabos óticos. Segundo conta a vice-presidente de estratégia da Ericsson, Carla Belitardo, o projeto se complementa também com o laboratório de Indaiatuba (SP), também dedicado à IoT e inaugurado pela companhia no ano passado. O de São José dos Campos "é um modelo mais amplificado, a gente está escrevendo software e com modelos mais prontos para go-to-market", declara. Ela acredita que a iniciativa do governo está alinhada com a tendência internacional de voltar atenções para a Internet das Coisas, "evoluindo agora para o quadro de segurança pública". E ressalta ainda que, para operadoras (e fornecedores), a IoT é uma forma de buscar novas fontes de receita.

Notícias relacionadas

Não é a única iniciativa com o governo brasileiro. A empresa faz parte do Projeto 5G Brasil, e Belitardo é vice-presidente da iniciativa junto com Wilson Cardoso, da Nokia. A executiva da Ericsson afirma que há "muita sincronia nos discursos", e que o acordo coloca a 5G na agenda do governo, ao qual ela chama de "bastante assertivo". Dos 20 projetos de pesquisa e desenvolvimento da empresa, a quinta geração de redes móveis é o tema em pelo menos metade, diz.

Carla Belitardo se diz otimista, inclusive na questão do impasse da política industrial brasileira com a Organização Mundial do Comércio. Mas ela explica que encara a questão como um "momento para revisar" as ações. O sentimento se reflete no relacionamento com o governo brasileiro. "O ministro (Gilberto Kassab) veio, valorizou o nosso trabalho, e isso é essencial para o setor; o diálogo foi feito aqui (o evento em) Barcelona é bom para isso", declara.

Acordo internacional

Além da Ericsson, os fornecedores Huawei, Intel, MediaTek, Nokia, Qualcomm, Rohde & Schwarz, ZTE e Datang assinaram também em Barcelona um acordo com as operadoras AT&T, China Mobile, NTT Docomo e Vodafone para juntas promoverem padrões 5G globais nos testes. Todos se comprometeram a facilitar e garantir uma especificação do 3GPP em junho de 2018 para o release 15, e de dezembro de 2019 para o release 16, para permitir o ecossistema unificado, incluindo chipsets, terminais, rede e instrumentos de teste, além de ter um roaming global transparente, ganhando escala e baixo custo. O acordo inclui ainda evolução de tecnologias anteriores, como 3D-MIMO LTE, NB-IoT/eMTC e C-V2x. O anúncio conjunto também abre oportunidade para a adesão de parceiros de indústrias verticais nos testes.


* O jornalista viajou a Barcelona a convite da FS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.