OUTROS DESTAQUES
Mercado
Base brasileira de banda larga fixa cresce em 2015
quinta-feira, 04 de Fevereiro de 2016 , 22h41

Ao contrário dos outros serviços (móvel pessoal, telefonia fixa e TV paga), o Brasil terminou 2015 com um balanço positivo na banda larga fixa, o serviço de comunicação multimídia (SCM). Segundo dados da Anatel divulgados nesta quinta, 4, no total, o País fechou o ano com 25,574 milhões de acessos fixos, crescimento de 0,54% (136,2 mil novos acessos) no mês e de 6,70% (1,605 milhão de adições líquidas) no ano. A dinâmica do mercado, entretanto, mudou mesmo foi na velocidade do acesso.

O País mostrou um crescimento de 83,73% (2,542 milhões de adições líquidas) na base de conexões entre 12 Mbps e 34 Mbps, somando 5,579 milhões de acessos em dezembro, ou 21,82% do mercado. As conexões com velocidade acima de 34 Mbps cresceram 81,03% no ano, mas representam apenas 5,54% da base total, ou 1,416 milhão de acessos – em setembro, essa faixa de banda larga ultrapassou a base de conexões abaixo de 512 kbps, que agora é a menor do Brasil, com 4,83% (1,235 milhão de acessos).

Evolu VELO dez

Embora tenha registrado queda de 11,24% no ano, as conexões mais populares ainda são as com velocidade entre 2 Mbps e 12 Mbps (39,01% do mercado), com 9,976 milhões de acessos. Em seguida (com 29,12%) vêm as de velocidade entre 512 kbps e 2 Mbps, com 7,367 milhões de acessos, recuo de 0,97% comparado a 2014.

Share VELO dezjpg

A tecnologia que mais avançou em relação a 2014 foram o cabo (Cable Modem e HFC), com 9,19% de crescimento (696,9 mil adições líquidas), fechando o ano passado com 8,283 milhões de acessos. As tecnologias sem fio (FWA, MMDS, spread spectrum, WiMAX e LTE fixo, ou TD-LTE) totalizaram 2,020 milhões de conexões, crescimento de 26,83% (427,3 mil) e 3,11% (60,9 mil) no ano e no mês, respectivamente. Destaca-se o spread spectrum, com 1,599 milhão de acessos, e o LTE fixo, com 303,7 mil acessos e crescimento de 119,9% no ano.

As conexões xDSL, no entanto, continuam sendo de longe as mais adotadas no Brasil, com mais da metade do mercado, embora tenham diminuído de 55,18% para 51,83% ao longo do ano. Foram 13,256 milhões de acessos em 2015. Embora tenha caído 0,52% em dezembro, houve crescimento anual de 0,22%.

A fibra (FTTx) totalizou em dezembro 1,290 milhão de acessos, um crescimento de 1,7% e 36,16% no mês e no ano, respectivamente.

Share TEC dez

Grupos econômicos

A América Móvil (Claro, Embratel e Net) fechou o ano passado com 8,110 milhões de acessos, um aumento de 0,22% e 7,81% no mês e no ano. Assim, o grupo mexicano, que já era líder, ampliou sua fatia no mercado em 0,32 ponto percentual (p.p.), encerrando dezembro com 31,71% de market share.

Em segundo, com 7,396 milhões de conexões, veio a Telefônica, que, com a incorporação da GVT em 2015, conseguiu assumir a posição antes ocupada pela Oi. A operadora do grupo espanhol fechou o ano com aumento de 0,64% e 4,93% no mês e no ano (pro forma), mas o market share caiu 0,49 p.p. e encerrou o período com 28,92%.

Share GRU dez

*Empresas acima de 100 mil acessos

A base da Oi encolheu 0,18% e 2,77% no comparativo mensal e anual, fechando dezembro com 6,371 milhões de conexões. Por outro lado, as operadoras menores (combinação de pequenos provedores) aumentou em 2,65% e 22,41%, respectivamente, e finalizou 2015 com 2,323 milhões de acessos e a quarta maior base brasileira de SCM. A quinta maior, a Algar, ficou com 453,1 mil acessos, aumento de 0,64% e 9,30%.

Destacam-se ainda a Sky/AT&T, com crescimento de 150,59% no ano e base de 264 mil acessos; e a Live TIM, com aumento de 64,94% no ano e 252,3 mil conexões.

COMENTÁRIOS

1 Comentário

Deixe o seu comentário!

Top