EAD faz acordo com varejistas e garante conversores para Rio Verde

A EAD (entidade que administra a digitalização da TV) fechou acordo com varejistas de Rio Verde e garantiu a oferta de conversores de TV digital no município goiano, que terá o sinal analógico de TV desligado (switch-off) no dia 29 de novembro. O preço, entretanto, não é dos mais baixos – entre R$ 150 a R$ 170. Segundo o diretor-geral da entidade, Antônio Martelleto, o consumidor poderá dividir o valor em até dez prestações, o que facilita o acesso ao equipamento.

Nos grandes centros, a preocupação com a oferta de equipamentos chineses continua, como no caso de São Paulo, admite Martelleto. Esses conversores podem ser mais baratos, mas estão fora das especificações definidas para a caixinha destinada aos beneficiários do Bolsa Família e que garantem a interatividade plena.

Sobre a distribuição dos kits – conversor e antena – para os beneficiários do Bolsa Família em Rio Verde, Martelleto afirmou que ela terá início nesta quarta-feira, 7, em três pontos da cidade. O usuário ficará sabendo do local no momento do agendamento, que foi prorrogado.

Martelleto ressalta que mais de 60% das cerca de sete mil famílias inscritas no programa do governo já fizeram o agendamento. Mas o engajamento das demais famílias ao processo de digitalização ainda é uma incógnita. "O Ibope está levantando esses números, que só será conhecido na próxima semana", disse.

Para o diretor-geral da EAD, o engajamento será maior se houver um reforço na campanha publicitária, como propôs a entidade, com comunicados diários que ocupem até 60% da imagem da TV. "Em todos os países do mundo que já fizeram o switch-off uma intervenção dessa natureza foi necessária", argumenta.

A proposta do reforço de comunicação já foi apresentada no Gired (Grupo de implantação da digitalização), mas não foi aprovada a pedido dos radiodifusores, que solicitaram mais tempo para análise. "Já há consenso no grupo de que esse reforço será necessário, mas ainda não foi definido de que forma será feito", disse.

Martelleto não tem uma avaliação sobre possíveis atrasos em função da troca de comando no Ministério das Comunicações. "Nós estamos trabalhando duro para que o desligamento em Rio Verde aconteça no dia definido, mas não temos todas as ferramentas na mão, como a questão do reforço", salientou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.