Promon e CPqD formarão joint venture para o Tropico-RA

Foi assinado nesta quarta, dia 4, em Brasília, um protocolo de intenções entre a Promon Eletrônica e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (fundação privada que sucedeu o CPqD da Telebrás) para a criação de uma empresa que deverá reunir todo o ciclo de desenvolvimento e produção das centrais de comutação digitais TROPICO – RA. Estas centrais respondem hoje por 30% da planta digitalizada brasileira. A tecnologia foi desenvolvida pelo CPqD que repassou os direitos de fabricação à Promon e à Alcatel. A formação da nova empresa tem como objetivo cortar custos de produção e desenvolvimento dos produtos periféricos a estas centrais. A empresa começa com cerca de 250 funcionários vindos das empresas mães e deverá manter sua planta fabril em Manaus. Carlos Silffert, diretor presidente da Promon, explicou que a Alcatel chegou a participar das negociações para a criação da empresa mas deverá continuar apenas como licenciada para a fabricação das centrais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.