OUTROS DESTAQUES
Balanço financeiro
Grupo Telefónica avança na receita no segundo trimestre
quinta-feira, 27 de julho de 2017 , 12h17

Assim como a subsidiária brasileira, o Grupo Telefónica registrou aumento nas receitas e no lucro no segundo trimestre do ano, de acordo com balanço financeiro divulgado nesta quinta-feira, 27. As receitas da empresa no trimestre aumentaram 1,9%, totalizando 12,960 bilhões de euros, enquanto no semestre o aumento foi de 3,4%, total de 26,091 bilhões de euros. Considerando valores na moeda europeia, a Telefônica Brasil foi responsável por 3,028 bilhões de euros (aumento de 14,1%) e de 6,193 bilhões de euros (crescimento de 6,7%).

Nos três meses, o lucro operacional foi de 1,800 bilhão de euros, crescimento de 14,9%. Considerando a primeira metade do ano, foi de 3,370 bilhões de euros, avanço de 9,3%. O lucro líquido atribuído a acionistas foi de 821 milhões de euros (aumento de 18,4%) e de 1,6 bilhão de euros (avanço de 28,9%) nos períodos de três e seis meses, respectivamente.

O lucro operacional antes de depreciação e amortização (OIBDA) totalizou 4,158 bilhões (6,1% de aumento) e 8,179 bilhões de euros (5,5% de crescimento) no trimestre e no semestre, respectivamente. A margem OIBDA foi de 32,1% no trimestre, aumento de 1,3 ponto percentual (p.p.). No semestre, o avanço foi de 0,6 p.p., fechando junho com 31,3%.

A Telefónica reduziu em 3,7% o Capex no trimestre, totalizando 1,886 bilhão de euros, sendo 518 milhões de euros só para o Brasil, um aumento de 16,6%. O País foi que obteve a maior fatia de investimentos nesse período. Considerando o semestre, o Capex total foi de 3,507 bilhões de euros, uma queda de 4%. Para a Telefônica Brasil foram destinados 915 milhões de euros, avanço de 15,5%.

A dívida líquida da empresa em junho era de 48,487 bilhões de euros, uma redução de 279 milhões de euros em relação a março deste ano graças à geração de fluxo de caixa livre (1,021 bilhão de euros) e a diferença cambial de moedas estrangeiras frente ao euro (648 milhões de euros). Comparado a dezembro de 2016, a dívida foi reduzida em 108 milhões de euros.

Operacional

O grupo espanhol fechou junho com 341,347 milhões de acessos em todas as suas operações com consumidor final, uma queda de 0,2%. Desse total, 37,488 milhões eram de telefonia fixa (recuo de 4,5%); 21,697 milhões de banda larga (aumento de 0,3%) – sendo 9,960 milhões de acessos FTTx/Cabo (crescimento de 18,9%); e 8,274 milhões (queda de 1,7%) de acessos de TV paga. Somando com os 4,887 milhões de acessos no atacado (12,6% de redução), a Telefónica contava ao final do período com 346,234 milhões de acessos no total, uma queda de 0,4%.

A empresa contabiliza ainda 273,886 milhões de linhas móveis, avanço de 0,5%, sendo 161,271 milhões de pré-pagos (queda de 2,6%) e 112,615 milhões de pós-pago (5,3%). No universo do pós, havia 15,009 milhões de conexões máquina-a-máquina (M2M), um avanço de 15,6%.

Ainda nos serviços móveis, a penetração de pós-pago foi de 41,4%, aumento de 1,9 p.p.. A empresa contava com 155,126 milhões de acessos por smartphone, uma penetração de 60,9% na base. Mais da metade, 81,604 milhões de linhas, eram LTE, um avanço de 63%. A penetração da 4G cresceu 12,2 p.p. e ficou em 31,5% em junho.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top