OUTROS DESTAQUES
TV DIGITAL
Adiado para novembro o desligamento do sinal analógico da TV no Rio
segunda-feira, 23 de outubro de 2017 , 14h58

O sinal analógico da TV aberta no Rio de Janeiro e mais 18 cidades próximas será adiado para 22 de novembro em função do índice de digitalização dos lares não ter atingido o patamar esperado. De acordo com pesquisa do Ibope, estão aptos a receberem a programação digital da TV aberta 87% dos lares, enquanto o mínimo previsto na norma do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações é de 90%. O switch-off nesses municípios estava previsto para esta quarta-feira, 25. No entanto, a mesma pesquisa mostrou que se fosse realizado o desligamento apenas 6% dos lares ficaria sem TV, o que mostra que o elevado índice de pirataria e outras formas de recepção dos sinais é uma realidade bastante presente no Rio de Janeiro. Durante o período de adiamento algumas emissoras devem começar o desligamento.

O Gired sugeriu ao MCTIC que homologue o período de desligamento no RJ para que tenha início em 25/10 e vá até o dia 22/11, devendo ser realizada uma nova pesquisa nesse período. De acordo com a pesquisa, o menor índice de digitalização está nas classes C e D.

Já em Vitória e em mais seis municípios próximos (Cariacica, de Fundão, de Guarapari, de Serra, de Viana e de Vila Velha) o desligamento do sinal analógico foi confirmado para quarta-feira, 25. A decisão foi tomada pelo Gired (Grupo de Implantação da TV Digital) nesta segunda-feira, 23. Nas cidades capixabas o percentual de digitalização dos domicílios é de 91%.

No Espírito Santo, a Entidade Administradora da Digitalização (EAD) já entregou 76% dos 679,3 mil kits (antena, conversor e controle remoto) destinados às famílias inscritas nos programas sociais do governo federal. No Rio de Janeiro, foram entregues 72% dos 1,2 milhão de kits previstos.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
, ,
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
 
Top