OUTROS DESTAQUES
Mais serviços agregados, menos voz
quarta-feira, 15 de março de 2000 , 21h33 | POR REDAÇÃO

A corrida pelo avanço tecnológico das operadoras móveis tem um objetivo claro. Na Europa, já se verifica que a receita está vindo dos serviços de valor adicionado e, cada vez menos, do tráfego de voz. Para Batista, da Maxitel, essa tendência deve se repetir no Brasil. Primeiro, com a queda das tarifas, que deve acontecer em breve. Segundo, o aparelho celular deve criar atrativos para reter o usuário por mais tempo. Mas as novidades ainda não estarão disponíveis para o pré-pago, produto que provocou respeitável queda de rentabilidade das operadoras. O motivo apontado é a dificuldade de cobrar as tarifas (quando regulamentadas), ou seja, como fazê-lo.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top