OUTROS DESTAQUES
Chance para as operadoras de backbone
quinta-feira, 30 de março de 2000 , 20h59 | POR REDAÇÃO

A Vis Tecnologia, que é fabricante e operadora de sistemas de comunicação por rádio, pediu licenças em cerca de 80 cidades para operar esta faixa. "Estamos aproveitando nossa rede de longa distância, que é formada em parceria com a Pégasus. Como já passamos por várias cidades, falta apenas a parte de acesso a elas e esta é a possibilidade que faltava", explica Zaki Nunes, diretor técnico da empresa. Mas, segundo ele, a canalização de 5 MHz não permitirá um uso muito grande da rede para serviços de banda larga. "Para transmissão em maiores velocidades, acabamos optando pela faixa de 28 GHz, onde os canais são de 100 MHz. Mas, como o alcance nesta freqüência é menor, acaba sendo útil para cidades com maior densidade, como as capitais", explica. A Metrored, por sua vez, preferiu não participar da disputa neste momento, segundo seu presidente, Álvaro Marques.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Comece o ano com um debate atualizado e aprofundado sobre os principais pontos da pauta política e regulatória do setor de Comunicações para o ano de 2019, as perspectivas para o novo governo e para o trabalho da Anatel, além de discussões aprofundadas sobre o modelo de regulação por incentivos e a aplicação  e implicações da Lei de Proteção de Dados para o setor de telecomunicações.

19 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Comece o ano com um debate atualizado e aprofundado sobre os principais pontos da pauta política e regulatória do setor de Comunicações para o ano de 2019, as perspectivas para o novo governo e para o trabalho da Anatel, além de discussões aprofundadas sobre o modelo de regulação por incentivos e a aplicação  e implicações da Lei de Proteção de Dados para o setor de telecomunicações.

19 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top