OUTROS DESTAQUES
Operadora não deve recorrer ao BNDES
sexta-feira, 24 de março de 2000 , 17h46 | POR REDAÇÃO

A TCS afirma que já decidiu que os recursos empregados na compra da CRT serão provenientes do caixa da empresa e da captação da Telepar. O BNDES não vai bancar a compra. A Tele Centro Sul tem, junto ao banco estatal, dois pedidos: a extensão do empréstimo de R$ 424, de 1998, para o início da operação, e a captação de mais R$ 2,4 bilhões para a expansão da rede e dos serviços. A tele tem caixa, mas o investimento planejado é alto: R$ 2 bilhões neste ano e R$ 1,5 bilhão no próximo.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top