OUTROS DESTAQUES
Consultor ainda recomenda a prática do unbundling para o Brasil
quinta-feira, 22 de novembro de 2001 , 21h07 | POR REDAÇÃO

A informação de Kip Meek sobre o fracasso do unbundling na Inglaterra agradou de pronto os representantes das incumbentes brasileiras presentes ao seminário, que se posicionaram contrários à desagregação do acesso. Mas Meek, em entrevista ao TELETIME News, esclareceu que se o unbundling ainda não deu certo, isso não significa que sua adoção deve ser descartada. E opinou também que esta prática pode ser a mais recomendável para provocar a competição no mercado residencial de telecomunicações no Brasil, desde que todas as partes envolvidas e a Anatel estabeleçam as regras adequadas. Uma idéia, segundo ele, poderia ser a cobrança de royalties pelo uso das redes de terceiros, em vez de se fixarem preços.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top