OUTROS DESTAQUES
Omnipoint americana vê interesse no Brasil
quarta-feira, 02 de fevereiro de 2000 , 22h51 | POR REDAÇÃO

A aprovação da faixa de 1,8 MHz para o PCS atrairia também novos concorrentes internacionais. É que estas empresas entrariam num mercado já bastante disputado com serviços diferenciados, como maior cobertura de roaming automático internacional (válido também para transmissão de dados), avanços na transmissão de dados e o SIM Card (chip removível com informações do assinante), voltados para as camadas mais sofisticadas de consumo. Nesta lista estaria por exemplo a Omnipoint, operadora norte-americana em GSM, como admitiu o diretor para assuntos externos da empresa, Terry Philips. George Schimtt, presidente e CEO da operadora, acenou com a intenção ao criticar a atuação de fabricantes que na América Latina defendem sistemas norte-americanos como o TDMA e CDMA, mesmo fazendo parte também do grupo de fornecedores de GSM.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Comece o ano com um debate atualizado e aprofundado sobre os principais pontos da pauta política e regulatória do setor de Comunicações para o ano de 2019, as perspectivas para o novo governo e para o trabalho da Anatel, além de discussões aprofundadas sobre o modelo de regulação por incentivos e a aplicação  e implicações da Lei de Proteção de Dados para o setor de telecomunicações.

19 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Comece o ano com um debate atualizado e aprofundado sobre os principais pontos da pauta política e regulatória do setor de Comunicações para o ano de 2019, as perspectivas para o novo governo e para o trabalho da Anatel, além de discussões aprofundadas sobre o modelo de regulação por incentivos e a aplicação  e implicações da Lei de Proteção de Dados para o setor de telecomunicações.

19 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top