Um Telecom prepara oferta de MVNO para fidelizar ISPs

Foto: Pixabay

[Publicado no Mobile Time] A Um Telecom está passando por uma transformação. A operadora regional quer deixar de ser apenas uma provedora de conectividade para ISPs e empresas e virar uma provedora de soluções digitais. Como parte dessa nova estratégia, criou recentemente as verticais de segurança da informação e de computação na nuvem. E agora prepara sua entrada no segmento de Internet das Coisas (IoT) e seu lançamento como operadora móvel virtual (MVNO, na sigla em inglês), além de estudar participação no leilão de 5G.

"Conectividade virou commodity, então estamos mudando para sermos uma empresa de soluções digitais, incluindo MVNO e IoT", diz Rui Gomes, CEO da Um Telecom, em conversa com Mobile Time. "Gostaria que daqui a dez anos a gente desse gratuitamente a conectividade e só vendesse soluções. Isso ajudaria até no nosso planejamento tributário", acrescenta.

A Um Telecom tem hoje uma rede de fibra óptica DWDM com 16 mil Km de extensão passando por 200 municípios e provendo capacidade de tráfego de dados para 300 ISPs que somam 700 mil clientes. A ideia a partir de agora é oferecer aos provedores de Internet e ao mercado corporativo em geral serviços de valor agregado em cima dessa rede.

Na vertical de segurança, o primeiro produto é um "link seguro", em que a Um Telecom inclui uma solução de monitoramento de possíveis ameaças. Por sua vez, para a vertical de computação na nuvem, foi desenvolvida uma solução de videomonitoramento, que inclui câmeras capazes de medir a temperatura das transeuntes. Foi criada também uma cloud privada da Um Telecom, que é bastante competitiva no Nordeste, onde há pouca oferta de data centers locais: a operadora consegue disponibilizar uma opção com latência e preço menores que concorrentes internacionais, explica seu diretor de negócios, Daniel Gomes.

"Com a pandemia aceleramos a criação de produtos. Julho foi o primeiro mês em que novos contratos de TI superaram em quantidade aqueles de conectividade. A maior parte das vendas foi de soluções recém-criadas, como videomonitoramento com medição de temperatura corporal", relata o diretor.

MVNO e IoT

Os próximos passos nessa transformação da Um Telecom serão o lançamento da MVNO e da vertical de IoT. A operadora fechou acordo com a Datora para ser uma MVNO credenciada. Seu plano é oferecer o serviço de telefonia móvel para seus ISPs, como uma forma de fidelizá-los. "A ideia é que o ISP tenha uma oferta móvel para os clientes dele através da Um Telecom", diz o CEO. Será algo parecido com o que a Um Telecom vem fazendo em TV por assinatura: fechou acordo com a Viacom e incluiu dois de seus canais no pacote de conectividade disponibilizado aos ISPs.

A atuação como MVNO apoiará a criação da vertical de IoT, com a oferta de soluções de comunicação entre máquinas (M2M). A empresa também olha com atenção oportunidades no segmento de cidades inteligentes.

Neste momento, a Um Telecom está realizando testes com serviços de voz como MVNO para poder lançar comercialmente sua operação móvel. Ainda não há prazo para isso acontecer, mas não deve ser neste ano, esclarece o diretor.

5G

A operadora avalia uma participação no leilão de 5G, dependendo dos preços a serem definidos pela Anatel para os blocos regionais. Uma das possibilidades cogitadas seria a formação de um consórcio local, juntando-se com outras empresas.

"O 5G está ainda muito indefinido. A Anatel precisa estabelecer as regras do leilão e os preços. Os investimentos são altos. Para ter 5G é necessária uma estrutura de fibra para conectar as torres e isso a gente já tem, o que nos deixa um passo à frente de outras empresas. Estamos estudando o assunto, incluindo a possiblidade de formar um consórcio com outras companhias para explorar a frequência em uma determinada área", adianta o CEO da Um Telecom.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.