Brasil soma 837 mil novos contratos de Internet fixa no primeiro semestre

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Ao longo do primeiro semestre de 2020, 837,9 mil novos contratos de Internet fixa foram contabilizados pela Anatel em todo o País, levando a base nacional do serviço para 33,752 milhões ao fim de junho. A quantidade de acessos representa uma alta de 4,2% em um ano e de 2,5% no acumulado de 2020.

Revelado pelas estatísticas oficiais da Anatel, o número de novos contratos neste ano pode ser ainda maior. Isso porque muitos acessos têm sido reportados com atraso à reguladora: aos números de maio, por exemplo, foram adicionados 473 mil contratos que não constavam na base divulgada há um mês (totalizando assim 33,727 milhões de acessos no quinto mês do ano).

De qualquer maneira, a fibra ótica segue como motor do crescimento da Internet fixa. Ao longo de 2020, um saldo positivo de 2,716 milhões de acessos na tecnologia foi registrado até junho, totalizando 12,940 milhões e crescimento de 64,3% em um ano. Em paralelo, uma redução de 1,754 milhão de contratos ocorreu nas redes de cobre (para atuais 8,6 milhões, ou queda de 28% em um ano).

Os provedores regionais encerraram junho com 11,5 milhões de acessos ativos. Isso representa alta de 29,2% em um ano e de 12,3% no semestre. Do total, 7,721 milhões são operados em fibra ótica, em alta anual de 63,7% e de 25,2% ao longo de 2020. O segmento também soma 2,202 milhões de acessos em rádio.

Já as grandes prestadoras somadas registraram 430 mil contratos a menos de banda larga desde o começo de 2020, em queda de 1,9% no semestre e de 4,6% em um ano, considerando todas as tecnologias, inclusive o xDSL. A base de fibra ótica, por sua vez, ultrapassou os 5 milhões de clientes entre as grandes; no primeiro semestre, foram 1,159 milhão as adições líquidas na tecnologia. O serviço finalizou junho com 5,218 milhões de contratos, em alta de 65,2% em um ano.

Claro, Vivo e Oi

Líder do mercado, a Claro finalizou junho com 9,750 milhões de acessos ativos. Ao longo do semestre foram registrados 172 mil novos contratos pela Anatel, além de alta de 2,3% na base total em um ano. Relativamente pequena, a base de fibra ótica da empresa cresceu 132,3% em um ano, para 374 mil contratos (sendo 106,9 mil adicionados em 2020).

A Vivo encerrou junho com 6,669 milhões de clientes. O saldo negativo em 2020 é de 354,5 mil contratos e o recuo da base em um ano, de 9,7%. Já a base de fibra soma 2,975 milhões de acessos, sendo 384,1 mil habilitados neste ano. Em doze meses, os números da tecnologia cresceram 30%.

Já a Oi somava 4,981 milhões de acessos ao fim de junho. Nos seis primeiros meses do ano, a empresa teve saldo negativo de 274,7 mil no número de acessos, além de queda de 13,4% na base em um ano. No caso da fibra ótica, há crescimento de 172% em um ano. No primeiro semestre, a empresa registrou 604,3 mil novos acessos, totalizando 1,623 milhão em junho.

Velocidades

Assim como os acessos em fibra, os contratos de Internet fixa com velocidades acima de 34 Mbps também seguiram em crescimento. Em junho, eles totalizaram 16,821 milhões de clientes, ou 49,8% de todos os acessos ativos no País. Em um ano, o nível de serviço cresceu 57,6%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.