Mobile Enterteinment Forum busca autorregulamentação do setor

Depois de criar um termo de conduta unificado de melhores práticas para a oferta de Serviços de Valor Adicionado (SVA) em redes móveis – que entrará em vigor em abril -, o Mobile Enterteinment Forum (MEF) começa a trabalhar na fase 2 do projeto. Trata-se da criação de uma entidade para monitorar o mercado e fiscalizar o cumprimento do termo.
De acordo com Filipe Roup Rosa, gerente-geral do MEF-LATAM, será criada uma estrutura dentro do MEF que certificará as peças publicitárias e fiscalizará se elas foram para o ar em conformidade com o termo. A expectativa da associação é que em seis meses esse monitoramento entre em vigor. Neste momento, o MEF está discutindo com seus associados um modelo de penalização por pontos, em que a empresa acumula pontos por cada vez que for identificada uma não conformidade e poderá ser, no limite, banida pelos seus pares do mercado.
Rosa afirma que esse monitoramento já é feito hoje pelos próprios players, que denuinciam às operadoras práticas incorretas dos concorrentes. O problema é que a operadora, muitas vezes, demora para averiguar a "denúncia" e quando faz, o banner, por exemplo, já não está mais no ar.

Notícias relacionadas
A criação do capítulo latino americano no Brasil foi catalizada pelo grande número de reclamações de usuários sobre a venda de SVA no modelo de assinatura. Em 2006, quando esse modelo surgiu, alguns agregadores não deixavam claro as condições de contratação do serviço e nem como deixar de assiná-lo.
O MEF pretende também criar critérios mais claros e objetivos para multar os agregadores que descumprem o termo de conduta. Segundo Rosa, hoje as operadoras já fazem isso, mas não têm critérios únicos e objetivos para a aplicação das multas. Embora as peças publicitárias hoje já passem pelo crivo das operadoras, Rosa explica que os agregadores trabalham com um grande número de afiliados: blogs ou sites pequenos que exibem o banner e são remunerados por cada cliente conquistado pelo agregador. O problema é que, muitas vezes, eles adultaram o banner para gerar mais adesões e assim, mais receita para eles próprios. A criação dessa estrutura de fiscalização, permitirá a identificação mais rápida dessas fraudes.
Métricas
A ausência de dados sobre o tamanho do mercado de SVA no Brasil é um problema grande para os players do setor e principalmente para novos investidores. Hoje, as operadoras divulgam apenas sua receita com dados, que inclui uma série de serviços como SMS, banda larga móvel etc. A ideia do MEF é recolher os dados das operadoras (todas elas são associadas) e criar relatórios com números exclusivos de SVA em âmbito latino-americano. No momento, o MEF discute quais dados serão solicitados. A entidade vai contratar uma empresa de pesquisa de mercado para realizar estimativa de crescimento de cada serviço e identificar as tendências da indústria. A expectativa é que essa empresa seja contratada até o final de maio e os primeiros relatórios saiam em setembro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.