Amazon Web Services entra na disputa por redes 5G privativas

(c) 2019 Tony Webster.

Braço de computação em nuvem da Amazon, a Amazon Web Services (AWS) anunciou nesta terça-feira, 30, um novo serviço gerenciado voltado para a habilitação de redes 5G privativas em verticais.

Batizada como AWS Private 5G, a oferta (disponível por enquanto nos Estados Unidos) incluirá unidades de rádio do tipo small cell, servidores, core 5G, rede de acesso (RAN), software e módulos de identidade de assinantes (SIMcards), segundo comunicado da AWS.

O objetivo seria permitir a implementação "em dias em vez de meses" de redes privativas nas instalações de companhias, sem a necessidade da aquisição e integração de componentes de software ou hardware de diferentes fornecedores e com um caráter facilmente dimensionável.

Notícias relacionadas

"Os modelos atuais de preços de redes móveis privativas cobram por cada dispositivo conectado e tornam o custo proibitivo para casos de uso que envolvem milhares de dispositivos conectados. Como resultado dessas barreiras, a maioria das empresas não consegue implantar e operar redes móveis privativas", defendeu a AWS.

Operadoras

Apesar da concorrência direta com empresas de telecom que apostam em redes privativas, a operadora norte-americana Dish foi apontada como cliente e potencial distribuidora na nova proposta de redes privativas da Amazon. O core 5G da tele já roda sobre a nuvem da empresa.

"Selecionar a AWS nos permitiu integrar e dimensionar nossas funções de core 5G dentro da nuvem. Eles são um parceiro estratégico importante para nos ajudar a fornecer redes de empresas privativas aos nossos clientes", afirmou o diretor comercial da Dish, Stephen Bye, no comunicado distribuído pela AWS.

Apontada como outras das primeiras usuárias da solução dedicada de 5Ga, a Koch Business Solutions também reportou a participação de "provedores globais de serviços de comunicação" na implementação em suas operações, além da empresa de software Mavenir.

Deixe seu comentário