Incorporação da Sercomtel fixa e móvel é aprovada na câmara de Londrina e depende agora da Anatel

Por unanimidade foi aprovado no início da noite de ontem, 29, na Câmara Municipal de Londrina, o pedido de autorização da incorporação da empresa de telefonia móvel da Sercomtel por parte da operadora de telefonia fixa do mesmo grupo. O pedido foi submetido à casa pois 55% das ações da operadora pertencem ao município, enquanto a empresa de energia Copel, cujo sócio majoritário é o Governo do Paraná, detém 44%.

Notícias relacionadas
A unificação das operações de telefonia fixa e móvel depende agora da Anatel. “Sem a autorização da Anatel o processo não tem prosseguimento. Há bens reversíveis (STFC) e uma série de outras coisas que a agência precisa avaliar. Mas o pedido já está na Anatel, conversei com o presidente João Rezende e acredito que isso seja aprovado pelo Conselho até o final do ano”, diz o presidente da Sercomtel, Roberto Coutinho Mendes. Este noticiário entrou em contato com a Anatel, que informou não ter previsão de quando tratará da questão. Se for aprovada, será a primeira reestruturação de um grupo concessionário de telefonia fixa depois das mudanças no Artigo 86 da LGT promovidas pela Lei 12.485/2011. A mudança permite que a empresa concessionária opere outros serviços diretamente.

Sinergia

Coutinho admite que a integração das operações demandaria um investimento inicial por parte da Sercomtel. Mas também acredita que esse custo seria mitigado pelo patrimônio da operadora móvel, que passaria a pertencer à fixa.
Além disso, segundo ele, a consolidação geraria, em um primeiro momento, uma economia operacional de R$ 1,5 milhão, entre impostos, contratos e custos de interconexão. “Isso não é pouco, em se tratando de uma empresa deficitária em R$ 17 milhões. Por isso, a ideia é operar no superávit já em 2012, no máximo início de 2013”, diz.

A integração se justificaria também pelo ganho competitivo. Geralmente, as operações de telefonia móvel são mais lucrativas que as fixas. Não no caso da Sercomtel, que oferece serviços móveis a 190 mil clientes somente em Londrina e no município vizinho de Tamarana. “Além do mercado limitado, a competição na telefonia móvel é mais acirrada e isso faz com que o market share não seja o desejável. Londrina é a terceira cidade mais disputada pelas teles do Brasil, atrás somente de São Paulo e Curitiba”, diz.

Na telefonia fixa, a Sercomtel tem 180 mil assinantes, mas atua em um número maior de municípios e também oferece serviço de banda larga. “Devemos começar a oferecer TV por assinatura, via DTH (satélite) em abril, no máximo junho do ano que vem”, revela. “Com o quadriplay, ganharemos competitividade, fidelizaremos a base e cresceremos”, diz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.