Microsoft revela sua primeira pulseira conectada

Os rumores estavam certos: a Microsoft revelou nesta quinta-feira, 30, a sua primeira pulseira conectada, a Microsoft Band. Seu foco principal é o monitoramento da saúde e das atividades físicas do usuário, mas também serve para o recebimento de notificações do smartphone e até mesmo para comprar um café no Starbucks sem tirar a carteira do bolso, por meio de uma integração com o programa de fidelidade da rede de cafeterias. Junto com a pulseira a companhia apresentou o Microsoft Health, aplicativo móvel que cuidará do tratamento de todos os dados coletados pelo device. Tanto a pulseira quanto o app podem funcionar em smartphones dos três principais sistemas operacionais: Android, iOS e Windows Phone. A Microsoft Band está sendo vendida no site da Microsoft nos EUA por US$ 199.

Notícias relacionadas

A pulseira tem um sensor de batimento cardíaco que funciona 24 horas por dia, de maneira ininterrupta, coletando dados sobre o funcionamento do coração do seu portador. Além disso, um GPS embutido rastreia todos os deslocamentos. A pulseira conta os passos dados por dia e também os quilômetros corridos, além de calcular as calorias queimadas. A qualidade do sono também pode ser avaliada. Uma novidade diferente de outras pulseiras existentes no mercado: a Microsoft Band mede a incidência de raios ultravioletas. Além disso, tem um termômetro embutido, para medir a temperatura da pele. Todos os dados são transmitidos via Bluetooth para o smartphone do portador e tratados pelo app Microsoft Health, que gera gráficos diários sobre a saúde e as atividades físicas da pessoa.

Notificações de e-mail, calendário, chamadas, SMS, Facebook, Twitter, previsão do tempo e até ações da Bolsa podem ser configuradas para aparecer na tela de 1,4 polegada da pulseira. O device conta com um microfone embutido que está integrado ao assistente de voz do Windows Phone, o Cortana, o que torna possível tomar notas e criar alertas através da fala.

A Microsoft Band é resistente a poeira e respingos d'água, mas não pode ser submersa. Sua bateria de 100 mAH dura 48 horas em uso normal. A pulseira opera com Windows Phone 8.1 ou superior, Android 4.3 ou superior e iOS 7.1 ou superior.

Análise

Com a entrada da Microsoft, o cenário competitivo em wearable devices está completo, com a presença de todas as grandes empresas da indústria móvel voltadas para o consumidor final. Google, Samsung, Apple (seu primeiro relógio chega ano que vem, mas já foi anunciado), Sony, Motorola (Lenovo), LG, Huawei e ZTE estão no páreo. Com a oferta de design de referência por fabricantes de chipsets, veremos fabricantes regionais de menor porte se arriscando também, provavelmente com preços mais baixos.

A grande dúvida é que rumo esse produto vai tomar. Há dois propósitos diferentes: saúde e conveniência (notificações do celular). O primeiro combina mais com as pulseiras e o segundo, com os relógios conectados. Mas nada impede que um abranja o campo do outro e é exatamente isso que está acontecendo nesses primeiros modelos, com pulseiras que incluem notificações e relógios que coletam dados de saúde. É provável que, com o passar do tempo, surjam wearable devices mais especializados e menos generalistas, como uma pulseira que foque estritamente no monitoramento de pacientes cardíacos ou outra para nadadores, por exemplo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.