TIM diz que trimestre foi duro, mas lucro ainda cresce, para R$ 318 milhões

Apesar de um terceiro trimestre marcado pela suspensão de vendas de novas habilitações móveis em 18 estados mais o Distrito Federal e suspeita de queda proposital de chamadas de usuários do plano ilimitado “Infinity”, a TIM conseguiu apresentar resultados positivos no período. Em seu relatório financeiro do trimestre divulgado na noite desta terça, 30, a TIM classifica, nas palavras de seu CEO Andrea Mangone, como “duro” o período compreendido entre julho e setembro e admite que, embora os eventos, que incluem ainda a retomada de discussões relacionadas a pagamento de impostos e contingências, "não sejam necessariamente relacionados com os fundamentos do negócio, acabaram tendo pesado impacto na nossa imagem e, em menor escala, na parte financeira".

Ainda assim, a TIM conseguiu fazer com que seu lucro líquido consolidado crescesse 0,4% na comparação anual entre o terceiro trimestre de 2011 e o de 2012, para R$ 318 milhões. Desconsiderando os eventos não recorrentes que impactaram em R$ 42 milhões as despesas da operadora no trimestre (R$ 16,1 milhões em provisão de perda de crédito de propaganda e R$ 26 milhões de provisão para os processos administrativos da Anatel), o lucro líquido consolidado teria crescido 16,6% no ano e alcançado R$ 369,3 milhões.

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou R$ 1,202 bilhão ao final do período de três meses encerrado em setembro, um aumento de 3,8% em comparação a igual período de 2011. O EBITDA ajustado teria ficado em R$ 1,244 bilhão, 7,5% a mais que no ano anterior.

No entanto, a receita bruta teve um aumento anual 10,2% no trimestre, fechando junho de 2012 em R$ 6,8 bilhões; e a receita líquida ficou em R$ 4,5 bilhões, aumento de 7% em relação a junho de 2011. A margem EBITDA ficou em 25,5%, um ponto percentual inferior na comparação ano-a-ano. A margem ajustada teria sido de 26,3%, queda de 0,1 ponto percentual em relação ao terceiro trimestre do ano anterior.

Números operacionais

A base de clientes da TIM experimentou uma expansão de 17,2% nos últimos 12 meses, acima da média de mercado de 13,9%, e alcançou 69,4 milhões de clientes (26,8% do mercado brasileiro). Do total, 10,3 milhões de clientes são pós-pagos.

As desconexões totalizaram 8,2 milhões de linhas no trimestre, uma taxa de churn de 11,9% e foi imapactada por 279,8 mil desconexões de acessos machine-to-machine (M2M) e por uma "política de desconexão austera para o segmento pré-pago, que se aplica para usuários sem recargas por 180 dias e sem tráfego por 90 dias". No detalhamento da base pós-paga, os acessos M2M encerraram setembro com 1,2 milhão de conexões; os acessos "humanos de voz", 8,2 milhões de usuários; e os de banda larga móvel 836 mil clientes.

3G

A TIM acelerou o ritmo de implantação de sua cobertura 3G no trimestre, chegando a 74 novas cidades no período. Agora, a rede 3G da TIM atende a 629 municípios.

A receita bruta de VAS chegou a R$ 1,122 bilhão, alta estável de 34,6% na comparação anual, resultado da forte adesão , segundo a tele, aos planos de dados Infinity e Liberty Web, incluindo o Infinity Web Modem lançado em dezembro e a contribuição positiva do Infinity Torpedo. A receita bruta de VAS alcançou 19,4% da receita bruta de serviços móveis (15,7% em igual período de 2011). O Infinity Web totalizava 4,1 milhões de usuários únicos diários ao final de setembro.

Já a receita média por usuário da operadora fechou o trimestre em R$ 18,9, redução de 11% na comparação anual impactado ainda pela redução da VU-M e também pela “comoditização” nas chamadas de longa distância.

Fixo

Os serviços fixos, incluindo Intelig, TIM Fixo e TIM Fiber, totalizaram receita bruta de R$ 339 milhões, queda de 9,8% quando comparado ao mesmo período do ano passado. A migração do código de longa distância do 23 (até então usado pela Intelig e que teve de ser devolvido à Anatel) para o 41 foi o principal fator impactante apontado pela TIM.

Fibra

Depois do lançamento comercial do Live TIM em São Paulo e no Rio de Janeiro, o do serviço ultra banda larga da TIM já conectou 3.026 edifícios (de um total de 7.101 autorizados) e já possui 120.500 clientes potenciais registrados no website. De acordo com a operadora, as vendas diárias do novo produto aceleraram cerca de cinco vezes desde a divulgação de uma promoção agressiva que reduziu os preços de pacotes de R$89,90 (para 35Mbps) para R$35,00 e de R$129,90 (para 50 Mbps) para R$50,00 que inclui um modem Wi-Fi grátis e não tem taxa de instalação. A oferta, disponível para adesão até o final de 2012, manterá os preços até a Copa do Mundo de 2014.

A TIM decidiu também antecipar-se ao novo regulamento de qualidade da banda larga da Anatel, que aumentará o limite mínimo de velocidade média entregue de 10%, praticado pelo mercado, para 60% efetiva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.