Sistema Monet, de cabo submarino, deverá entrar em operação na metade de 2017

Instalação Cabo Submarino Monet Fortaleza Angola Cables Antel Google Algar Telecom
Instalação Cabo Submarino Monet Fortaleza Angola Cables Antel Google Algar Telecom

Recentemente, chegou a Fortaleza o cabo submarino Monet, uma parceria entre Algar Telecom, Angola Cables, Google e a operadora uruguaia Antel. Logo em seguida, o sistema também escolheu fornecedor de landing station em Miami. Porém, ficou claro que a infraestrutura não estará pronta até o final deste ano ou começo de 2017. De acordo com o diretor de parcerias estratégicas da Algar, Marcelo Nunes, o lançamento dos cabos ocorrem na normalidade, mas realmente houve atraso nos pontos de chegada no continente. "Tivemos uma série de dificuldades, terreno, projeto, e isso causou problemas de atrasos, mas já estão saneados e as construções começaram", contou ele a este noticiário. Assim, a data de começo de operação deverá ser "no final do primeiro semestre de 2017, que é o que a gente estava prevendo".

Nunes explica que o problema não foi exatamente com a Angola Cables ou o Google, responsáveis pelas landing stations. "Foram problemas de aquisição de terreno e de licenças. Tiveram diversos (argumentos) com prefeitura (de Fortaleza) e Petrobras, o que atrasou a construção", diz. "O Google estava comprando o terreno e descobriu que estava todo enrolado."

Já em Miami, a complicação foi a série de barreiras colocadas pelo governo norte-americano. Após uma busca pelos sites já prontos na região onde queriam – Boca Ratón -, escolheram o data center da Equinix. "É muito legal, bem montado, com estrutura boa, e para eles é oportunidade, pois não funcionavam como landing station, era apenas data center", declara.

No final das contas, Marcelo Nunes acredita que as obras do cabo Monet ocorrem com normalidade e sem grandes obstáculos. "Para um projeto dessa envergadura, que está sujeita até a questões climáticas – ontem as ondas de Fortaleza estavam muito altas -, são coisas que se esperam, e eu considero que está indo tudo bem", avalia. Mesmo o relacionamento entre as empresas estaria sólido, ainda que com eventuais discordâncias. "Às vezes é esperado (discordar) em aspecto técnico, um acha que é de uma forma, outro de outra, mas não vejo grandes problemas", garante. Procuradas por este noticiário, Angola Cables e Google não retornaram pedidos de entrevistas.

O cabo submarino Monet terá infraestrutura de mais de 10 mil km e capacidade de 60 Tbps. Da cidade de Miami, cuja responsável pela landing station é o Google, o data center da Equinix será conectado através da infraestrutura ótica às cidades brasileiras de Fortaleza e Praia Grande (SP), de onde ocorrerá a distribuição do tráfego pela América do Sul. As infraestruturas nas duas cidades brasileiras serão fornecidas pela Angola Cables e Google, respectivamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.