Centro da Orange em Petrópolis melhora capacitação para atendimento corporativo

Um dos cinco centros de serviços ao cliente da Orange Business Services, a unidade Major Service Center (MSC) de Petrópolis (RJ) está completando cinco anos de funcionamento. Com 200 profissionais na equipe local, o MSC desenvolve e mantém infraestrutura de redundância para suporte e planos de continuidade aos negócios para clientes das Américas, Portugal, Espanha e países africanos de língua portuguesa. Segundo o vice-presidente da Orange para a América Latina e responsável pelo centro de serviços, Mauro Cruzeiro, houve um crescimento de 20% no número de posições de atendimento no período, permitindo agregar 15% mais clientes.

O centro de Petrópolis é focado em clientes corporativos, então a capacitação de mão de obra é um ponto fundamental para a companhia. A empresa lida com implementação e operação de serviços em fibra, metro Ethernet, acessos IP e satélites. "Nós investimos constantemente em treinamentos para nosso time local e também em certificações. Entre as mais importantes estão a ISO 9001, ISO 20000 e ISO 27001", declarou Cruzeiro a este noticiário por e-mail.

Além disso, a empresa alcançou o índice de 95% das chamadas recebidas com atendimento em menos de 30 segundos, o que ele considera como uma taxa "excelente". O executivo comemora também a parceria com instituições de ensino locais, como o Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) de Petrópolis e o Senai, além da Universidade Católica de Petrópolis, que agora conta com temas que abordam o universo de telecomunicações na grade curricular.

M2M

Na época da instalação do grupo de suporte da companhia no Rio de Janeiro, em 2008, a então CEO da Orange Business Services, Barbara Dalibard, afirmou que apostava no serviço máquina-a-máquina (M2M) no País. No entanto, devido às barreiras tributárias para o setor, as operadoras têm avançado pouco nesse período, encontrando dificuldades em manter um modelo econômico rentável. Apesar de uma desoneração ser prometida pelo governo, ainda nada de concreto conseguiu dar o gás necessário ao mercado.

Entretanto, segundo Cruzeiro, "ainda há espaço para as soluções de M2M nos mercados local e global e esta continua sendo uma solução estratégica do portfólio global da empresa". Isso porque a empresa conta com importantes contratos de serviços no setor, principalmente na Europa. Apesar de não especificar sobre as tendências para o mercado brasileiro diante das dificuldades, ele cita a parceria recente com a Ericsson para atender a mulitinacionais com a plataforma de conexão de dispositivos M2M.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.