Telefónica Infra participará de nova empresa de rede neutra da Vivo

Foto: Pixabay

Formalizado pela Telefônica Brasil (Vivo) nesta última quarta-feira, 29, o plano da empresa de atrair investidores para uma rede neutra de fibra ótica no Brasil deve envolver também a Telefónica Infra, ou a subsidiária da infraestrutura do grupo espanhol que foi criada como parte de uma reestruturação em curso na companhia.

"No Brasil estamos lançando um processo para atrair parceiros financeiros e fazer uma FiberCo, que não será consolidada no nosso balanço", observou o COO da Telefónica, Ángel Vilá, durante call realizada nesta quinta-feira, 30. "Será um projeto conjunto entre a Telefônica Brasil e a Telefónica Infra, e queremos trazer um parceiro que assuma 50% da [nova] empresa", completou.

Segundo o executivo, a impossibilidade de cobrir o País inteiro com capex próprio e as oportunidades no mercado de atacado e banda larga motivaram a decisão. "O projeto no Brasil será misto, parte 'brownfield' [áreas ocupadas], com algumas das fibras que a Vivo já tem nas regiões alvo, e o resto com construção 'greenfield' [áreas novas]", pontuou. A empreitada deve mirar cidades médias e não envolverá o estado de São Paulo, onde tem área de concessão.

Infraestrutura

A criação da Telefónica Infra foi anunciada em novembro passado em meio a reestruturação que também envolverá a venda das operações do grupo espanhol na América Latina, com exceção do Brasil. Por enquanto, a unidade tem como ativo primário a Telxius, que está reunindo torres e cabos submarinos do grupo.

Em junho, a Telxius adquiriu por 1,5 bilhão de euros mais 10,1 mil torres detidas pela operação alemã da Telefónica, além de assumir compromisso de construir mais 2,4 mil sites no país europeu. Assim, a Telefónica Infra espera passar de 20,4 mil torres detidas em seis países (inclusive no Brasil) para 32,9 mil.

Entre janeiro e junho, a divisão somou uma receita de 415 milhões de euros (queda de 4,7% em um ano). Por enquanto, o valor representa apenas 2% do faturamento total do grupo.

Telefónica Tech

Outro braço criado no âmbito da reestruturação, a Telefónica Tech também está preparando novos movimentos. Segundo a Telefónica, spin-offs para as áreas de nuvem e Internet das Coisas (IoT)/big data devem ser lançadas nos próximos meses, seguindo caminho já trilhado em cibersegurança com a ElevenPaths.

No primeiro semestre, a divisão de negócios digitais B2B gerou 756 milhões de euros em faturamento para o grupo, em alta de 18% em um ano. A Telefónica ainda comemorou acordos estratégicos celebrados com empresas como Google, AWS e Microsoft ao longo do primeiro semestre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.