Publicidade
Início Newsletter Claro anuncia estratégia para 5G e aguarda sinal verde em Brasília

Claro anuncia estratégia para 5G e aguarda sinal verde em Brasília

Presidente da Claro, José Félix, no lançamento do Claro 5G+ em Brasília. Foto: Guilherme Kardel/Claro

A operadora Claro lançou nesta quinta, 30, sua estratégia para o lançamento do serviço 5G+ (marca comercial do 5G), que deverá acontecer em Brasília assim que a Anatel der o sinal verde para uso da faixa de 3,5 GHz na Capital Federal, o que deve acontecer na próxima semana. A mesma estratégia valerá para as demais capitais tão logo o espectro seja liberado.

A principal aposta do usuário é na experiência do usuário, cuja velocidade e latência devem ser melhoradas substancialmente por meio da combinação de espectros da operadora: 100 MHz de banda na faixa de 3,5 GHz; 50 MHz de banda na faixa de 2,3 GHz também adquiridas pela Claro no leilão de 5G; e 20 MHz de banda na faixa de 2,1 GHz, hoje dedicada ao 4G, que serão agregados aos serviços 5G. Segundo Paulo César Teixeira, CEO da Claro para serviços individuais, nenhuma operadora terá a mesma quantidade de espectro porque a Claro foi a única que levou o lote nacional de 50 MHz em 2,3 GHz.

Existem 10 modelos habilitados para operar nas duas faixas de 5G, segundo a operadora, e com a Claro lançará com a Motorola modelos preparados para a rede 5G Standalone. As velocidades esperadas quando as melhores condições estão disponíveis é de 2 Gbps.

Notícias relacionadas

Com os usuários individuais, a Claro espera rentabilizar os investimentos em 5G com a ampliação do uso. Não haverá planos específicos para a nova tecnologia, ou seja, quem hoje tem um plano 4G e tenha um dos 10 modelos de aparelhos pronto para 5G que opere nas frequências de 3,5 GHz e 2,3 GHz (bandas N78 e N90) terá acesso a toda a capacidade da rede. “Nossa expectativa é que na rede 5G os consumidores utilizem mais dados e isso levará eles a demandarem planos com mais capacidade”, diz Teixeira. Ou seja, o que a Claro espera que aconteça é que o consumidor busque planos com franquias maiores.

Para isso, há duas apostas. A primeira é que a de que a tendência de ampliação de uso já registrada com o 5G DSS se mantenha ou se amplie no 5G+: um aumento de 100% no consumo de dados espontâneo. A Claro já explora, desde o ano passado, o 5G DSS, que é o 5G em cima de frequências de 4G. Não é um serviço que oferece a mesma capacidade do 5G, mas já amplia significativamente a capacidade da rede, e nesses casos (a Claro afirma ter atualmente 2 milhões de usuários do 5G DSSem abril, a empresa ainda não havia chegado ao primeiro milhão) registrou-se um aumento de duas vezes no tráfego médio de dados por usuário.

A outra aposta é na oferta de serviços de valor adicionado, como serviços de streaming de vídeo, músicas e jogos, que estimularão os consumidores a gastar mais dados de suas franquias e com isso migrar para planos melhores e mais caros.

A empresa ainda estuda outras possibilidades, como a oferta de serviços de banda larga fixa em cima da rede 5G, na tecnologia FWA, mas segundo Paulo César Teixeira ainda existe um componente de custo (Félix disse nesta semana que a CPE estaria na casa de R$ 1,2 mil) que dificulta a competitividade do FWA no Brasil. “Mas onde fizer sentido na estratégia e os custos forem razoáveis, podemos oferecer”, diz ele, lembrando que a Claro é hoje a maior operadora de banda larga fixa no Brasil.

Curiosamente, ainda que a oferta de banda larga fixa não apareça ainda como serviço de lançamento do 5G da Claro, o presidente da operadora, José Félix, usou a analogia com a fibra para explicar o impacto do 5G. “Hoje, todos nós nos acostumamos com a velocidade da fibra na banda larga, mas infelizmente não conseguimos fazer a fibra andar junto com a gente quando saímos de casa. O 5G é a fibra na rua, porque tem atributos de velocidade e latência muito próximos desta experiência a que nos acostumamos”.

Modelos

A Claro aproveitou o lançamento para mostrar modelos de aplicações de 5G que podem ser explorados. A empresa trouxe parceiros que estão desenvolvendo serviços como drones de entregas conectados à rede 5G, carros conectados, serviços de banda larga fixa em cima da rede 5G e o caminhão 5G da Huawei, que servirá para demonstração e treinamento e que circulará o país.

Copa no Metaverso

Outra aplicação demonstrada é a de realidade virtual em cima do Metaverso da Meta (Facebook). Especificamente, a Claro demonstrou uma aplicação de imersão em um dos estádios da Copa do Catar. A Claro é patrocinadora oficial da Copa do Mundo e espera, até novembro, desenvolver uma aplicação para exibir a Copa do Mundo nesse Metaverso, virtualmente, aos clientes que disponham dos equipamentos de realidade virtual.

Evento

Na próxima semana, no dia 4 de julho, a Claro e outras operadoras que pretendem lançar serviços no 5G, incluindo os novos entrantes no mercado, discutem no TELETIME Tec 5G & Wireless, que acontece presencialmente em São Paulo, as estratégias de mercado e as opções tecnológicas para as novas redes. O evento terá ainda a participação da Anatel, que trará mais detalhes sobre a liberação dos prazos de liberação das frequências e cumprimentos de obrigações de 5G. O evento acontece no WTC Events Center, em São Paulo. Mais informações sobre a programação completa e condições de inscrição pelo site do evento.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário Cancelar resposta

Sair da versão mobile