Publicidade
Início Newsletter Telefónica faz últimos ajustes antes de escalar adoção de estações Open RAN

Telefónica faz últimos ajustes antes de escalar adoção de estações Open RAN

A Telefónica está realizando os últimos ajustes internos antes de começar a implementação em larga escala de estações Open RAN para as redes de acesso em rádio. O cronograma foi compartilhado durante a MWC 2021.

“Estamos rodando estações rádio base Open RAN na maior parte dos nossos principais mercados, sob rede comercial. Nossa intenção é terminar o ano com todos os processos e sistemas prontos para escalar implementações a partir de 2022“, afirmou o vice-presidente sênior da Telefónica para tecnologia, inovação e ecossistemas, Juan Carlos Garcia.

Segundo ele, no momento equipes internas da operadora estão se familiarizando com a nova arquitetura, ao mesmo passo que algumas solicitações de propostas à fornecedores (RFQs, na sigla em inglês) ainda se encontram em andamento.

Notícias relacionadas

Garcia, contudo, também lembrou que o Open RAN não é exatamente um tema novo dentro da Telefónica; na América Latina, a empresa foi parceira do Telecom Infra Project (TIP) no projeto Internet para Todos, no Peru.

Já no Brasil, a companhia já manifestou desejo de usar o Open RAN primeiro para atendimento de áreas rurais, redes privativas e de Internet das Coisas (IoT).

Escala

Quem também participou do debate na MWC foi a japonesa Rakuten Mobile, considerada referência mundial em Open RAN por apostar em uma rede greenfield baseada no padrão.

Head da plataforma RAN da operadora, Sushil Rawat afirmou que a Rakuten conta hoje com 14 mil estações 4G ativas e baseadas na arquitetura aberta, além de quase mil outras operando em ondas milimétricas.

O executivo, contudo, defendeu que avanço na cadeia de fornecimento de chips de silício é necessário para tornar implementações Open RAN mais “genéricas” e aderentes a qualquer cenário geográfico. No momento, a Rakuten estaria trabalhando com praticamente todos os vendors de processadores em busca de soluções adequadas.

O gap também foi apontado pelo diretor de ecossistemas de conectividade do Facebook (que lidera o TIP), Eran Tal. “A disponibilidade de múltiplas soluções de silício otimizadas para as cargas de trabalho RAN realmente vai desencadear as oportunidades e benefícios de desempenho e eficiência que esperamos ver no sistema”.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile