Não há consenso no Senado sobre votação do PL das Fake News

Foto: Pixabay

Previsto para ser votado na tarde desta terça-feira, 30, o PL das Fake News (PL 2.630/2020), ainda enfrenta resistência no Senado. Apesar de alguns parlamentares entenderem que é possível votar o projeto nesta tarde, uma outra parcela de senadores segue defendendo que entre na pauta somente na volta das reuniões presenciais, a fim de ampliar o debate. Paralelamente, um terceiro grupo já se manifestou contrário à medida.

Diversos líderes partidários têm insistido que o PL 2.630, que institui a Lei Brasileira e Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, merece análise mais aprofundada. Em sua conta no Twitter, o líder do PSL, senador Major Olímpio (SP), afirmou nesta terça-feira que notícias falsas precisam ser combatidas, mas o direito à liberdade de expressão deve ser garantido. "Novamente, pedi o adiamento da discussão do PL 2.630/2020, para que nós, senadores, tomemos conhecimento do novo texto apresentado", declarou.

Notícias relacionadas

Também pelo Twitter, a senadora Mailza Gomes (PP-AC) disse que votará contra o projeto e também defendeu a ampliação do debate antes da votação. "Sou contra as notícias falsas, mas acredito que o caminho é fortalecer a educação para resolver a desinformação. A segurança de milhões de brasileiros precisa ser preservada". 

Já o senador Jader Barbalho (MDB-PA) se manifestou favoravelmente à criação de canais de denúncias para identificação e exclusão de conteúdos considerados fraudulentos, além da inclusão, no Código Penal, do crime de disseminação de desinformação.

Votação presencial

Em entrevista à Radio Senado, o senador Plínio Valério (PSDB-AM), disse que esse não é o momento de se votar uma proposição como esta. O parlamentar defendeu que o projeto seja discutido nas comissões, quando voltarem as atividades presenciais no Senado. O político entende que, em tempo de pandemia, o Congresso Nacional foi convocado para votar apenas assuntos relacionados à emergência sanitária. Ele manifestou que votará contra o PL.

Além disso, o fato de o relatório, apresentado pelo senador Angelo Coronel, estar sendo alterado com frequência foi apontado por Plínio como uma das razões para sugerir o adiamento da análise do projeto. "Não entendo para que essa pressa, esse açodamento para aprovar, em reunião remota, uma lei que é necessária, mas não tão urgente assim", disse o senado.

(Com informações da Agência Senado)

1 COMENTÁRIO

  1. E Preciso Saber que Existe Uma Diferença Entre Notícia e Opinião;Se Alguèm divulga Notícias Falsas,Cabe ao Ministêrio público Investigar e Esclarecer O que Foi dito,Agora A Opinião e direito de Todo Cidadão,e Sua Liberdade de Expressão deve Ser Respeitada,Estão Confundindo Críticas Com Ameaças,e O STF Não Têm poder para Adotar Leis Abusivas que Violam as Legítimas Leis da CF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.