Anatel libera uso da faixa de 2,5 GHz para empresas de MMDS prestarem banda larga

O conselho diretor da Anatel aprovou nesta quinta, 30, a liberação do uso da faixa de 2,5 GHz para as empresas de MMDS operarem o serviço de banda larga (SCM). As autorizações terão que ser expedidas em 15 dias, determinou o conselho, mas ainda há uma questão com relação ao preço. Os conselheiros Jarbas Valente, João Rezende e Ronaldo Sardenberg entendem que a metodologia de cálculo utilizada para definir quanto as empresas de MMDS pagarão por esta faixa para prestarem SCM pode ser revista, já que os valores estão elevados considerando-se o porte das operadoras. Com isso, a área técnica deverá revalidar os valores. Para a conselheira Emília Ribeiro, contudo, o preço é uma atribuição exclusiva da área técnica. Pela metologia utilizada, o uso da faixa de MMDS na cidade de São Paulo sairia, por exemplo, por cerca de R$ 90 milhões. Em Brasília, o valor estaria em torno de R$ 20 milhões e por aí vai. Conforme antecipou este noticiário, estes valores resultam da mesma metodologia que será usada na definição dos preços do leilão de 2,5 GHz. Em defesa de seu trabalho, a área técnica vem argumentando que a faixa poderá ser utilizada para qualquer serviço, e por isso vale muito. Basta que a empresa de MMDS solicite, adicionalmente, a autorização de STFC e SMP, pagando R$ 9 mil cada.
Multisserviço
Há cerca de três semanas a Anatel atendeu a um pedido da Sky e já havia liberado à operadora uma outorga de SCM. Espera-se que a empresa passe a oferecer até agosto serviço de banda larga em algumas cidades em que tem frequência. Brasília, Goiânia, Belo Horizonte e Belém estão entre elas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.